Nota do editor: Este artigo foi originalmente publicado no blog do Desafio Sua Ideia Vale um Milhão, competição de startups do Buscapé Company. Confira nossa cobertura anterior aqui

Todo empreendedor sabe que, apesar das facilidades de hoje, começar uma empresa pode ser exaustivo e desgastante. Mas claro, é também é uma das maiores emoções na vida, podendo ser uma experiência muito satisfatória.

A jornada do empreendedor é repleta de altos e baixos, até porque, para alcançar o ponto mais alto, é preciso ter também conhecimento do que acontece lá em baixo. Todo case de sucesso geralmente é consequência de vários cases de fracasso, já a experiência é a melhor professora da vida. Em alguns casos, não precisamos presenciar os fracassos para saber que ele pode existir, basta pesquisar por histórias de empreendedores que podemos tirar várias lições.

Confira algumas lições que podem ajudá-lo com sua startup:

Não dê lugar para as incertezas

Muitos projetos sensacionais não são implementados por falta de iniciativa dos idealizadores, ou até mesmo pelo medo. Não deixe que isso aconteça com sua startup. Você pode perder uma grande chance devido ao medo de falhar.

Na sua primeira experiência, é normal ter medo do fracasso e do desconhecido, mas esteja disposto a falhar e tentar novamente – lembre-se que, ganhando ou perdendo, terá uma experiência valiosa. O mais importante é ter a frieza e capacidade de analisar uma situação e descobrir porque algo deu errado, ou certo.

Não deixe seu orgulho ficar no caminho. Esteja disposto a admitir que sua ideia pode não ter sido a melhor do mundo como você acreditava, e aproveite para levar seu fracasso como lição de vida para evitar erros futuros.

Ficar sentado avaliando e pensando o quão boa sua ideia é nunca vai levar a nada. É preciso agir. Comece imediatamente a pesquisar para construir um protótipo, ou realizar os testes necessários. Só existe um jeito de descobrir se sua ideia é boa ou não.

Os maiores números nem sempre serão o melhor negócio

Está captando investimento e já possui algumas propostas interessantes de investimento anjo, venture capital, ou até mesmo de private equity? Não se engane, pesquise bastante sobre os fundos e investidores interessados e se eduque em relação aos termos de negócio. Não deixe transparecer que você nunca levantou uma rodada antes, pesquise bastante e aja como se já soubesse o que esperar. Muitos empreendedores de primeira viagem se empolgam com os números e acabam concordando com termos desfavoráveis, principalmente por faltarem certa maldade em sua experiência, ou até mesmo pela falta de conhecimento.

Não se engane com os dígitos. Só porque um grupo de investidores oferece um valuation maior que outro, não significa que estão oferecendo o melhor negócio para sua startup. Procure ajuda de amigos e mentores que já passaram por esta situação para aprender a pré-avaliar os acordos e entender todos os detalhes e implicações.

Encontre conselheiros e mentores

Não importa o que você está desenvolvendo, existem milhares de pessoas que, mesmo não fazendo parte do seu mercado, oferecem conselhos valiosos que podem ser aplicáveis até mesmo em desenvolvimento de apps móveis. Portanto, não ignore completamente o conselho do seu avô que teve uma padaria, ou seu tio que possui um consultório odontológico. Todos os negócios enfrentam os mesmos tipos de problemas.

Claro que você também precisa de ajuda de pessoas que conhecem seu mercado e passaram pelo que você está passando. Não perca tempo e reúna os amigos, ou faça novos amigos para montar um time de conselheiros e mentores que o ajudarão nas horas mais difíceis. Se você não sabe como encontrar o mentor ideal, confira algumas dicas clicando aqui.

E você, qual lição aprendeu ao criar sua startup?