A 500 Startups acaba de anunciar que já está procurando pela próxima leva de startups para o próximo programa. A novidade é que, pela primeira vez, o programa está permitindo a inscrição de qualquer startup que queira participar.


Até então a incubadora não permitia a inscrição aberta de startups, as participantes do programa eram escolhidas por recomendações. Agora Dave McClure, fundador da 500 Startups, busca uma nova abordagem que dará oportunidade para muita gente, inclusive do Brasil, pois o programa é internacional. Embora alguns brasileiros já tenham participado do programa, o nunca foi muito expressivo, mesmo com inúmeras startups extremamente competentes com vontade de serem aceleradas pela empresa.

O processo de escolha por recomendação evita muita dor de cabeça, pois não é necessário revisar centenas de inscrições, sendo que grande parte não preenche os pré-requisitos exigidos pelos regulamentos dos programas. As recomendações ajudam a evitar startups que não estão prontas para a 500 Startups, mas deixa passar muita gente boa que poderia aproveitar bastante o programa. Este é o principal motivo que fez Dave optar pelas inscrições abertas para o próximo programa de aceleração.

Mas a novidade não para por aí. Para dar uma mãozinha nas inscrições, a 500 Startups fez uma parceria com a AngelList, o que faz da empresa a primeira incubadora a utilizar a plataforma. A rede profissional de startups e investidores terão ajuda de um conjunto de algoritmos na curadoria das inscrições, o que permitirá que a plataforma acelere o processo e identifique os participantes não qualificados.

Este será o primeiro teste com este sistema, portanto, nem todas as startups que participarão do programa serão escolhidas desta forma. A 500 Startups deve escolher entre 10 e 15 startups que se inscreverem na AngelList. Algumas startups já foram escolhidas e outras estão no processo de avaliação.

Com isso a incubadora também mudou os termos de investimento para startups que já levantaram capital. Anteriormente as condições eram que, a empresa oferecia US$ 50.000 em troca de 5% de participação, com opção de aumentar para US$ 200.000 nos próximos rounds. Com a mudança, startups que já levantaram mais que US$ 250.000 poderão entrar no programa abrindo mão de apenas 3 a 4% de equity.

O programa começará em Outubro. Tem interesse? Clique aqui e faça logo sua inscrição!

Fonte: TechCrunch.