Viciado em Desktops? O Google Não Tem Previsões Muito Boas Para Você.

Recentemente todos se impressionaram com as palavras do Diretor do Google Europa, John Herlihy, que preveu o desaparecimento do desktop em um artigo. Segundo ele, “Em três anos, os desktops serão irrelevantes. No Japão, a maioria das pesquisas hoje em dia são relizadas em smartphones, e não PCs” . Será que ele foi muito longe ou será que iremos aposentar os teclados até o ano de 2013?

O Silicon Republic afirmou que o artigo de Herlihy resultou em “comentários do CEO da Google, Eric Schmidt, no Mobile World Congress 2010 onde ele disse que tudo o que a empresa vai fazer daqui pra frente será com os olhos em dispositivos móveis, focando na computação em nuvem e conectividade.”

De acordo com um relatório da Forrester em Outubro de 2009, sobre a adoção da tecnologia móvel entre os profissionais da informação americanos, apenas 11% usam smartphones enquanto 76% utilizam desktops e 35% usam notebooks. E estes números são dos trabalhadores da indústria da informação, um setor que teoricamente teria que estar diretamente ligado a tecnologia. Segundo um artigo da Enterprise Mobile Today revendo este relatório, “nos próximos três anos, mais da metade dos trabalhadores estarão utilizando smartphones no meio corporativo”.

Se a Google está prevendo que os desktops irão se tornar irrelevantes e talvez incluindo os notebooks nesta categoria, eles podem estar subestimando a nossa dependência pelo teclado. Falando no iPad, será que iremos utilizá-lo para gerenciar base de dados, códigos, e para criar informações em geral?

Os smartphones obviamente estão ganhando mercado a cada dia, mas eles são muito limitados para substituir completamente os dispositivos com teclados, ainda mais em um espaço de três anos. Mas levando em conta que a categoria móvel conta também com os notebooks, netbooks e tablets (com o teclado), então temos que dizer que realmente estamos chegando neste dia. Olhe para os profissionais da informação hoje e você verá os esboços da próxima geração de usuários de computadores, muitos com um smartphone no bolso e um notebook na mochila. Olhe para escritórios mais novos e é provável não ver nenhum desktop, e sim mesas limpas para o uso de notebooks.

E você, acha que em breve daremos adeus aos desktops? Esperamos ansiosos pela era da computação móvel e presente em todos os lugares. Tomara que o Google esteja certo.

0 responses to “Viciado em Desktops? O Google Não Tem Previsões Muito Boas Para Você.

  1. Apesar de falar sobre Desktop, as declarações dos diretores da Google são em favor dos smartphones, então os notebooks também estão inclusos nessa onda de sucateamento.
    Mas não acredito que o Desktop se torne inutil. Continuará sendo importante para criar as ferramentas que permitem maior uso dos smartphones: desenvolvedores e designers continuarão a usar Desktop ou potentes notebooks, assim como engenheiros, e outros tipos de profissionais.

  2. Desktop só não morreu ainda por causa dos jogos e programas mais pesados que eventualmente não rodem em um notebook. Tirando isso, quem tem desktop é só por costume.

    Por exemplo, minha mãe comprou um desktop há um tempo sendo que ela poderia ter comprado um notebook que faria tudo que ela precisa e mais um pouco, afinal ela poderia usá-lo no quarto, na sala, na cozinha…

  3. É, esqueci de comentar isso. Pensar em usar só smartphone é loucura. A não ser que eles tenham em mente uma forma aumentar a tela do negócio sem aumentar o tamanho dele… hehe

    Ou então eles estão considerando que o uso de sites vai cair, afinal o perfil de acesso, de um mesmo usuário, num desktop/notebook é bem diferente desse usuário em um smartphone.

  4. Computação móvel claramente vai crescer, mas desktops ainda são e serão um bom custo e uma boa banda para quem não precisa de mobilidade (como quem trabalha sempre no mesmo espaço físico) e quem não abre mão do conforto de monitores múltiplos e/ou maiores. Sem contar o custo de manutenção, troca de peças, componentes, etc.

    O que certamente vai crescer é a sincronização de arquivos nos diferentes dispositivos, mas disso a Microsoft já sabe tem um bom tempo ;-).

  5. Eu acho que o desktop fica para sempre, mas cada vez mais para tarefas altamente especializadas… Um designer que trabalha com 3d por exemplo vai sempre ter o desktop como companheiro.

  6. Eu acho que o desktop fica para sempre, mas cada vez mais para tarefas altamente especializadas… Um designer que trabalha com 3d por exemplo vai sempre ter o desktop como companheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *