A Onda Acabou! O Google Wave Morre na Praia

O Google Wave, o produto, plataforma e protocolo revolucionário para colaboração distribuída em tempo real não será mais desenvolvido ativamente e acabará depois do final do ano, segundo um comunicado recente da Google.

Por que o Wave falhou? Talvez porque se você não chamá-lo de “email-killer” (e não deveria), então você tem de chamá-lo de “produto, plataforma e protocolo para colaboração distribuída em tempo real.” Isso é assustador e mostrou-se acessível para poucas pessoas. Ainda assim, rumores surgiram de que 100 engenheiros da Google estavam trabalhando no Wave até então, inclusive houve também um convite há menos de um mês da Google para mais colaboração de engenheiros, com grandes esperanças – é um choque vê-lo chegar ao fim.

O que é mais fácil de entender? O Google Wave ou a Cientologia?

Quando o Wave foi lançado, o respeitado analista Stephen O’Grady escreveu um post respondendo a perguntas sobre o produto. “Se o Google Wave é um sucesso,” ele escreveu, “significa que a Google será o fornecedor que define a experiência da próxima geração para milhões de pessoas, potencialmente dezenas de milhões de usuários em todo o mundo. Próximo a essa perspectiva, a ameaça do Google Apps não é nada.”

Apesar de tudo a adoção das empresas nunca decolou. A Gartner pode ter antecipado alguns motivos disso não ter acontecido em uma nota de pesquisa de Junho de 2009. Uma equipe de analistas da empresa argumentou que o Wave seria desafiado pela sua “grande agregação de recursos, o que pode assustar os usuários,” “dependência das mais recentes tecnologias de navegação na web,” e “provavelmente a sobreposição com múltiplas áreas em um ambiente empresarial de TI.”

“O Wave mostra que as ofertas de trabalho acabarão tendo que combinar os padrões da Internet com uma arquitetura federada e descentralizada,” continua a nota. “Independente do sucesso do Wave, a web acabará ganhando.”

Será que ainda sentimos isso? O Wave estava à frente de seu tempo?

Ele era muito confuso? O vídeo de demonstração de uma hora e meia lançado pela Google provavelmente não ajudou. A Gina Trapani, que editou o vídeo em partes menores com destaques, depois escreveu um manual colaborativo sobre o uso do Wave.

Os defensores do serviço dizem que não foi tão complicado e que foi extraordinariamente poderoso. Talvez este insucesso deva ser marcado como outro exemplo de como a Google “não entende a web social” em termos de experiência do usuário ou evangelismo bem sucedido. Depois de uma explosão imediata do hype, nunca pareceu que a Google estava realmente exigindo e tentando o sucesso com o Wave.

Com o ReadWriteWeb, descobrimos que o Wave era muito útil como uma ferramenta de live blogging. Então estamos tristes em vê-lo partir.

Vai levar tempo para descobrir o que aconteceu exatamente, mas estamos um pouco surpresos em saber que acabou. Esperamos que um dia esta visão dê certo.

A Ina Fried do CNet conversou com o CEO da Google Eric Schmidt e nos disponibilizou alguns argumentos interessantes dele sobre o desaparecimento do Wave.

0 responses to “A Onda Acabou! O Google Wave Morre na Praia

  1. Se me não me engano, o Google Wave demorou 3 anos para ser lançado ao público. Daí vem a velha questão: por que o Google não o lançou mais cedo e foi evoluindo o mesmo com o passar do tempo? Eu tenho quase certeza que o recurso de chat em tempo real seria muito interessante há uns 3 anos e daria pra revolucionar com isso.

    Uma das questões mais importantes levantadas pelos usuários é que o Google Wave era lento (não rodava com um desempenho satisfatório em qualquer navegador – leia-se Firefox e Internet Explorer, os dois mais populares), confuso (ele te deixava com a impressão “pra que isso serve? o que ele faz?”) e bugado. A maioria destes problemas poderiam ser resolvidos se o Google tivesse lançado o Wave mais cedo.

    Release early, release often.

  2. Tirando as questões técnicas, se todas estivessem redondas (o que acabou dificultando o Wave), é o Gmail! Para vingar o Wave, o Google tinha que ter tirado o Gmail do ar e forçar os usuários a usarem e se acostumarem com ele. Só que isso é um tiro no próprio pé, ou melhor, bomba atômica! A estratégia não foi boa…talvez ter começado como um Wavetalk e depois ir evoluindo para um Wavemail.

    O que queria saber é o custo do Google durante esse tempo todo para o projeto. Vários desenvolvedores, P&D pesado, infra.

    Agora acredito que uma coisa que temos hoje veio das pesquisas do Wave: drag and drop no gmail para attachment 🙂

  3. Sim, concordo com isso. E acho que grande parte do projeto Wave vai ser aproveitado em muitas outras coisas. Podemos dizer que ele foi um playground de pesquisa. E penso também que eles não souberam criar a cultura de usar o wave, por isso poucos se interessaram, ou muitos desistiram (!?)

  4. Pingback: RetrOvisOrio
  5. Na verdade, o Wave morreu porque investiram muito na tecnologia e pouco em design. A usabilidade era a pior que um webapp poderia ter, confusa ao extremo. Junte isso com o acesso apenas por convites e bum! Milhares de dólares jogados no lixo.

  6. Na verdade, o Wave morreu porque investiram muito na tecnologia e pouco em design. A usabilidade era a pior que um webapp poderia ter, confusa ao extremo. Junte isso com o acesso apenas por convites e bum! Milhares de dólares jogados no lixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *