Buscas no Twitter Aumentaram em 33% desde Abril

Se você tem usado bastante o Twitter ultimamente, você já se familiarizou com a mascote secundária do popular microblog, a fail whale ou “baleia da discórdia”, que gosta de fazer uma hora com a sua cara sempre que o Twitter está sobrecarregado. Sendo por causa da Copa do Mundo ou simplesmente por erros de rede, a baleia da discórdia tem mostrado sua cara feia cada vez mais. Agora você pode acrescentar mais um motivo para a lista de erros: As pessoas estão buscando informações no Twitter mais do que nunca.

De acordo com o VentureBeat, as queries de busca do Twitter cresceram 33% desde Abril, uma estatística que deve silenciar qualquer um desses críticos que perguntaram se o serviço havia se estagnado.

O artigo cita o co-fundador do Twitter Biz Stone, declarando que a empresa começou a lidar com 800 milhões de queries por dia. A empresa divulgou em Abril na sua conferência de desenvolvedores, a Chirp, que lidava com 600 milhões de queries diariamente.

Quando esses números foram divulgados e Abril, Danny Sullivan escreveu no SearchEngineLand, falando que a comparação das buscas do Twitter com as do Google e do Bing não seriam exatamente uma comparação honesta.

“A maior parte do tráfego do Twitter não está acontecendo exatamente no serviço,” escreveu Sullivan. “Em vez disso, está acontecendo através de chamadas da API – um sistema para o envio de buscas para o Twitter pelos parceiros em troca da informação.”

Embora os números possam parecer que de repente todo mundo começou a fazer o streaming no Twitter, na realidade, muitas dessas consultas provavelmente vêm de buscas automatizadas criadas em clientes terceiros como o TweetDeck ou em widgets disponíveis por buscas exibidas em outros sites. No entanto, como o Twitter está tentando a monetização através de resultados de buscas patrocinados, qualquer notícia dizendo que o número de buscas estão crescendo são ótimas notícias para o serviço.

0 responses to “Buscas no Twitter Aumentaram em 33% desde Abril

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *