Diariamente recebemos várias dicas de pauta e PRs. Todas são lidas e avaliadas, e ocasionalmente, nos deparamos com algum produto diferenciado que sentimos obrigação de escrever. O ASaaS é um deles.

O ASaaS permite que você gerencie seu software SaaS, controlando as assinaturas e gerando cobranças recorrentes de forma automática. Além disso, o ASaaS se integra com seu software via API.

O ASaaS permite o gerenciamento das assinaturas de seu software, a criação de formulários de ativação, o gerenciamento do ciclo de vida das assinaturas e comunicação com clientes através da uma simples interface.Você pode também controlar planos, definir preços, pacote de funcionalidades e período de recorrência.

Entrevistamos João Augusto Zaratine, gerente de produto, que nos contou um pouco mais sobre o ASaaS:

WebHolic: De onde surgiu o Asaas? Alguma necessidade específica?

O ASaaS surgiu de uma necessidade interna. Temos um ERP SaaS para micro empresas e percebemos como era difícil manter o controle e cobrar a base de assinantes. Por isso desenvolvemos um sistema que nos ajudasse com esse tipo de tarefas.

Quando vimos que existiam produtos lá fora com o mesmo objetivo, tratamos de adequar o ASaaS às necessidades do Brasil e começar a comercializá-lo.

WebHolic: Lá fora este é um mercado com forte crescimento. Players como Chargify e Zuora estão crescendo rapidamente junto com o mercado de software como serviço. Quais as expectativas de vocês para o mercado local?

O mercado brasileiro de SaaS ainda é fraco. Estamos nos preparando para surfar uma onda que virá daqui alguns anos.

Se as tendências se confirmarem, poderemos ajudar grande parte das empresas de software do Brasil a queimarem uma etapa no desenvolvimento de aplicações SaaS e entrarem no mercado mais cedo e preparadas.

WebHolic: A quase “inexistência” de empresas locais de Saas, na opinião de vocês, se deve a falta de soluções financeiras interessantes ou ao fato de o consumidor  brasileiro comprar serviços de saas internacionais?

Acreditamos que o para o SaaS atingir o mainstream é necessário uma mudança cultural. O brasileiro ainda se sente inseguro na hora de contratar um serviço self-service, já o americano está mais familiarizado ao DYI, acostumado a montar seus próprios móveis, abastecer seu carro, etc.

É fato que as soluções internacionais se mostram, em sua maioria, mais interessantes que as nacionais. Apesar disso, existem nichos em que os produtos ofertados no exterior não suprem as necessidades locais. É o caso, por exemplo, de softwares para controle financeiro com emissão de NF-e. Nenhuma solução internacional conseguirá suprir essa necessidade.

WebHolic: Qual a maior dificuldade para operar um serviço como estes no Brasil?

Grande parte das empresas com projetos SaaS ainda não tem noção dos problemas que enfrentarão para controlar as assinaturas e realizar as cobranças recorrentes.

É nosso dever educar essas empresas sobre os benefícios de se focarem apenas no seu negócio sem se preocuparem com a criação de um sistema para controle de assinaturas e cobrança.

WebHolic: Vocês estão buscando/já conseguiram investimento?

O ASaaS foi criado com investimento próprio e ainda não começamos a busca outros investimentos.

Começaremos a buscar invesitmento assim que validarmos nosso modelo de negócios por meio de uma base considerável de clientes pagos.

WebHolic: Quais os próximos planos da Startup?

A curto prazo pretendemos investir cada vez mais em nossa API, tornando-a ainda mais fácil de usar.

A médio prazo pretendemos intermediar as transações de nossos clientes, fazendo com que não  haja mais a necessidade da criação de contas em gateways ou intermediadores.

WebHolic: Obrigado e Boa sorte!