Desabafo Por Uma Web Mais Limpa

Gosto de usar a Web para coisas cotidianas. Procurar endereços em um mapa, restaurantes para ir, consertos caseiros, receitas para cozinha. Ou então, ver a programação de TV, dicas de jogos, etc. Isso tudo seria muito mais prazeroso e simples se não fosse uma coisa: a quantidade de sujeira e distração existente na maioria dos sites da Web atual.

Exceções Que Confirmam A Regra

Para começar, é claro que há exceções, algumas muito conhecidas. A página limpa do Google e a interface do Twitter são excelentes exemplos. É um fato conhecido que boa parte do sucesso desses serviços deriva da sua simplicidade. Então, porque é que tão pouca gente copia o exemplo?

1) Vamos reconhecer: criar um bom design é coisa para profissionais. A maioria dos sites é criado por alguém interessado na área ou por um programador. Saber HTML e CSS não é a mesma coisa que saber desenhar. Por isso os resultados são muito variados. Mas se tudo se limitasse ao mau gosto na escolha das cores ou dos temas, ainda seria possível achar a informação desejada no meio da confusão.

2) A necessidade de monetizar o serviço leva a uma profusão de anúncios, que se tornam cada vez menos eficientes à medida que o serviço demanda mais fundos para ser mantido. O resultado é a hipercomercialização, que interrompe a navegação e torna complicado separar o conteúdo do anúncio.

3) Redes sociais e serviços agregados se tornaram parte do problema. Todo mundo quer colocar um timeline de Twitter ou Google Friend Connect no site (pois é, nós do @rwwbr também caímos nessa). Em parte isso é resultado de uma pressão social, de mostrar que participa das redes da moda. Essa necessidade de hipersocializar gera ainda mais distração e quebra a imersão no conteúdo da página. Outro efeito colateral é o aumento de tempo de carga do site, resultado de carregar inúmeras aplicações externas (e isso por si só já mereceria um manifesto à parte).

4) É muito difícil manter um foco específico. A maioria dos sites acaba cedendo ao desejo de criar mil e uma seções e funcionalidades, que na falta de um design adequado (problema #1) se transforma em um pesadelo de navegação. Daí surgem mil e um atalhos pendurados na tela, resultado de um arquitetura mal estruturada.

Penteadeira de Madame, Diário da Barbie ou Armário Teen?

O resultado final varia de acordo com o grupo social no qual o serviço se insere. Pode ser penteadeira à moda antiga, cheia de bijuterias e penduricalhos. Pode ser o diário prototípico de uma garota, cheio de adesivos e anotações de canto de página. Ou pode ser um típico armário de adolescente, com adesivos gigantes pregados na porta e uma desordem absoluta por dentro.

O resultado são sites que você pode achar via Google, mas dificilmente iria anotar para usar como referência direta. Aliás, ponto para o Google, que nos permite filtrar toda a distração e encontrar o que desejamos. Talvez o Google não fosse tão onipotente se os sites fossem mais bem organizados – mas isso é outra história.

A Luz No Fim Do Túnel (e não é um trem na direção contrária)

Alguns dos melhores sites que eu leio diariamente são blogs simples. São sites mantidos por seus autores pelo prazer de escrever sobre aquilo que os interessa. Porém, à medida que o site se profissionaliza, a tendência de hipersocializar e hipercomercializar aumenta. Alguns passos simples ajudam a evitar que isso aconteça:

1) Atentar para as perguntas básicas: quem é seu público? qual é o assunto? Mantenha o foco no conteúdo, para evitar diluição. E de preferência, escolha um tema único. Isso facilita todo o resto.

2) Se o seu site tem um tema único bem definido, a arquitetura de informações se torna simples, quase trivial. Mas se você tem pretensões mais ambiciosas, pensar em uma organização de conteúdo é fundamental. É uma das áreas nas quais o apoio de um profissional pode fazer a diferença. Na falta desse suporte, uma regra simples basta: quanto menos seções você colocar, melhor. E se o seu conteúdo estiver “transbordando” as seções, volte ao item #1.

3) O design para Web evoluiu muito nos últimos anos. Existem hoje muitos sites especializados emdesigns de prateleira“, que certamente não atendem integralmente a necessidades mais profissionais, mas pelo menos permitem aos amadores que dêem uma roupagem mais adequada para seus sites (e a bem da verdade até mesmo os especialistas se aproveitam disso!).

4) Para cada item que você coloca em seu site, pense se ele agrega valor ao conteúdo, e não o contrário. É muito comum colocar gadgets externos como uma forma de dar “credibilidade” ao conteúdo. Isso já deixou de ser diferencial faz tempo. A coisa mais fácil do mundo é colar um snippet de Javascript no seu site, todo mundo faz. Então, se você for usar, que seja para algo útil.

Por Uma Web Mais Limpa

Criar conteúdo já é difícil suficiente. Deixar seu conteúdo sufocado em um site confuso não ajuda em nada. Mantenha seu foco, dentro de uma estrutura simples, e evite complicar desnecessariamente. Seus usuários agradecem.

0 responses to “Desabafo Por Uma Web Mais Limpa

  1. Concordo com a maioria do que você fala, Carlos, mas recentemente li um artigo com uma tese que achei curiosa, a de que interfaces mais complexas (não é o mesmo que poluidas) dão ao usuário “comum” uma espécie de sentimento de dominio e até superação. Será mesmo assim?

    Continuação de um ótimo trabalho!

    @TSSVeloso

  2. É possível que interfaces “engenhosas” tenham realmente essa característica. É que nem mexer com Lego ou outro brinquedo do tipo – encaixes inteligentes chamam a atenção e nos fazem pensar, criando coisas novas e divertidas. Mas (infelizmente) a razão do desabafo é outra: são interfaces poluídas, páginas onde o conteúdo luta para sobresair no meio do ruído, e por aí vai. Eu acredito que tem coisa legal perdida no meio da bagunça, material que talvez merecesse atenção, mas é uma pena que não dê para aproveitar mais devido à confusão. E o pior é que nem é tão complicado assim fazer algo “razoável”… por isso o desabafo. Espero que ajude um pouquinho a melhorar a situação!

  3. Assino embaixo as críticas expostas no texto, mas confesso que esperava uma outra abordagem acerca da “limpeza” da Web: o mal do conteúdo raso. A facilidade em (tentar) monetizar espaços virtuais gerou um boom de sites caça-paraquedistas que poluiu e continua poluindo os resultados dos buscadores a troco de cliques no AdSense (generalizando as ferramentas).

    Faz parte da democratização da Internet, mas é triste saber que a maior parte do que é produzido na Internet não passa de lixo e/ou ruído.

    []'s!

  4. Aliás, isso aí dá um post interessante. O “manifesto por uma web mais honesta”. Se pegar o conteúdo da blogosfera brazuca hoje, a grande maioria é caça níqueis e de baixíssima qualidade. Basta entrar em qualquer lista de monetização e dá para perceber do que estamos falando.
    Temos grandes exceções, mas no geral, o conteúdo “pega trouxa” acaba imperando.

  5. Rodrigo, não tiro sua razão. Tem muita coisa ruim: conteúdo clonado, copiado, falsificado, chutado, sem fundamento, etc. Basta fazer uma isca de tráfego e um pouco de conhecimento de AdWords para chamar e monetizar tráfego. E não falta gente pra viver desse esquema.

    A bem da verdade meu desabafo veio em um dia em que eu estava frustrado de achar coisa BOA e não conseguir aproveitar. Honestamente não sei o que é pior – bom conteúdo preso em um design ruim, ou conteúdo ruim. Mas pelo menos o conteúdo ruim eu posso pular, nem tento ler.

    (E o Diego tem 100% de razão, seu comentário dá um excelente post também, “por uma Web mais honesta”!).

  6. Design ruim é remediável. Desabilite imagens/CSS/JavaScript, ou use um bookmarklet esperto como o excelente Readability, e pronto. Já conteúdo ruim… 🙂 .

    Mas a “embalagem” também conta pontos, de fato. Fico muito contente quando encontro um site bem escrito e bem feito. É raro, mas acontece.

    []'s!

  7. Perfeito os comentários, infelizmente temos muitos, mas muitos sites difíceis de navegar, com conteúdo raso e links patrocinados para tudo quanto é lado. Estamos buscando seguir um caminho diferente com o http://www.gruda.com, mas confesso que é um desafio grande, monetizar um projeto ao mesmo tempo levando conteudo relevante de graça para os usuários.

  8. Perfeito os comentários, infelizmente temos muitos, mas muitos sites difíceis de navegar, com conteúdo raso e links patrocinados para tudo quanto é lado. Estamos buscando seguir um caminho diferente com o http://www.gruda.com, mas confesso que é um desafio grande, monetizar um projeto ao mesmo tempo levando conteudo relevante de graça para os usuários.

  9. Fui agredida na minha casa por uma colega,com gas de pimenta realmente é disconfortante fiquei por dois dias com o corpo queimando e com varios ematomas na regiao dos seios.Acho isso uma agressão totalmente desnecessaria.Sem contar que a delegacia em que fui prestar queixa se recusou a fazer o B.O.
    Acredito eu que este tipo de material jamais deve ser levado para casa ainda mais por uma pessoa em desequilibrio que ainda continua exercendo a função sem que seus superiores tomem um providencia.
    Só não fui mais adiante com a denuncia para preservar minha vida!
    A unica solução que consegui foi abandonar a minha casa para evitar uma desgraça maior.
    Infelismente existem pessimos profissionais na corporação da GCM.

  10. Fui agredida na minha casa por uma colega,com gas de pimenta realmente é disconfortante fiquei por dois dias com o corpo queimando e com varios ematomas na regiao dos seios.Acho isso uma agressão totalmente desnecessaria.Sem contar que a delegacia em que fui prestar queixa se recusou a fazer o B.O.
    Acredito eu que este tipo de material jamais deve ser levado para casa ainda mais por uma pessoa em desequilibrio que ainda continua exercendo a função sem que seus superiores tomem um providencia.
    Só não fui mais adiante com a denuncia para preservar minha vida!
    A unica solução que consegui foi abandonar a minha casa para evitar uma desgraça maior.
    Infelismente existem pessimos profissionais na corporação da GCM.

  11. APELO:
    Meu nome é Francisco, tenho 39 anos, sou separado e tenho 3 que moram comigo, pois a minha mulher me largou prá viver com outro homem. Tenho 4 irmãos, 2 irmãos mais velhos que moram no Rio de Janeiro, mais não temos mais contato e uma irmã próxima a mim que é casada, mãe de 2 filhos, mais o marido a agride, e ela não o denuncia porque tem medo que ele a mate como já ameaçou várias vezes e tenho outro irmão que é o caçula. Meu pai falesceu a 3 anos e meio com cÂncer e cirrose, pois ele sofria de alcoolismo. Meu irmão mais novo sempre foi um desocupado, mais de uns últimos tempos para cá ele andava estranho, chegava em casa quase todos os dias com algum dinheiro e quando eu e minha mãe o questionava ele dizia que estava “fazendo um bico”. Na verdade, ele estava traficando drogas, descobri por acaso quando a polícia chegou em casa para prendÊ-lo, mais não por tráfico pois a polícia ainda suspeitava, mais para mim a ficha caiu naquele momento, ele estava sendo procurado porque se meteu num roubo a uma loja. Minha mãe passou mal, pois ela sofre de problema cardíaco e de pressão alta. Dias depois meu irmão foi preso em flagrante em outro assalto, só que desta vez em outra loja, pois um dos clientes que estavam no local era um policial que reagiu ao assalto. Ele chegou a ficar 6 meses na prisão, mais foi solto e começou a usar drogas. Ele ficava dias sem aparecer em casa, e quando aparecia era sempre violento, quando eu não estava agredia a minha mãe, por vezes a levei no hospital machucada e com a pressão lá nas alturas. Pensei em denunciá-lo várias vezes, mais de tanto a minha mãe dizer para não fazer isso, fui levando a situação. Preferia até quando ele estava fora de casa num lugar qualquer correndo risco de vida, pois sempre que ele chegava em casa era porque precisava de dinheiro para usar a droga dele, como não temos dinheiro, ele levava qualquer coisa para saudar as dívidas, e quando ele não encontrava nada para levar ele descontava na minha mãe. Um dia quando cheguei em casa, fui surpreendido pelos gritos de socorro da minha mãe, ele estava em cima dela a agredindo friamente, pois estava drogado e queria dinheiro. Minha mãe entrou num choque tão violento por causa das agressões que na hora teve AVC, ficou 3 semanas na UTI, mais não teve mais jeito, ela continuava viva, mais sofreu danos irreparáveis. Minha mãe perdeu a fala e vive hoje numa cama, pois perdeu todos os movimentos do corpo. Meu irmão está preso, e eu que nunca pude ter um trabalho fixo por falta de oportunidades, tive que largar tudo para cuidar de minha mãe que eu amo tanto. Vivo de pequenas doações, mais mal dá para as despezas com os cuidados médicos, por isso uma vizinha teve a idéia de divulgar o meu drama e procurou uma lan house, pois não tenho computador. Gostaria de coração que vocÊs pudessem me ajudar, pois estou desesperado devido a minha situação, a minha mãe e os meus filhos são a coisa mais importante do mundo para mim, gostaria que vocÊs pudessem ouvir o meu apelo. SE VOCÊ PUDER CONTRIBUIR COM UM POUQUINHO QUE SEJA AGÊNCIA> 0922/ CONTA> 00006045/ DIGITO> 5/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *