Ideiasnet Liquida 3 Empresas: Estratégia de Saída em Capital de Risco

Liquidar antes que seja tarde. Essa foi a decisão tomada pela Ideiasnet (IDNT3), a única empresa brasileira de venture capital aberta na bolsa. Após quase 5 anos de participação nas empresas Addcomm, especializada em gerenciamento de marcas, e TVaoVivo, com soluções de multimídia interativa, a investidora assumiu sua estratégia de saída, desmantelando a holding Brands Group, criada em 2008 com o objetivo de consolidar o segmento de publicidade online, que agregava quatro empresas de seu portfólio (Hands, Media Factory e as duas desinvestidas).

Com o fim da holding, a Hands, provedora de soluções de mobile marketing, e a Media Factory, especializada em marketing digital e SEO, passam a compor diretamente o portfólio da Ideiasnet como early stage companies. Além dessas empresas, a Visionnaire, empresa de desenvolvimento de softwares de Curitiba onde a IDNT detinha 40% de participação, também entra no pacote de liquidações. A liquidação, porém, não significa que a empresa não exista mais, e sim que ela não pertence mais ao portfólio da investidora. As ações são transferidas aos sócios das desinvestidas, como explicado no relatório de resultados do quatro trimestre de 2009, recém-divulgado.

Essa estratégia é muito comum entre os venture capitalists, principalmente em fundos de capital semente, já que possuem prazo de validade e por isso são obrigados a programar a saída de suas empresas, seja através de venda ou liquidação. O capital semente torna-se assim o setor de mais risco na cadeia de valor do venture capital, mas pode ser o mais rentável, tanto é que dentre 10 empresas investidas por um fundo, por exemplo, uma ou duas conseguem atingir o retorno esperado, superando as 8 restantes.

O potencial de saída das empresas analisadas por VCs é fator importante na avaliação do investimento. Assim, empreendedores que buscam esse tipo de investimento devem pensar quais os potenciais compradores de seu negócio antes de submeterem o projeto a um fundo. Algumas estratégias de saída podem ser:

  • Trade-sale: venda de todas as ações da empresa a um comprador estratégico
  • IPO: o sonho dos VCs, que compreende a primeira oferta pública de suas ações, ou seja, abertura de capital na bolsa;
  • Secondary-sale: venda das ações para um outro fundo de investimento, no caso fundos maiores, voltados para o setor de private equity;
  • Buyback: recompra das ações pelos empreendedores, o que se torna pouco viável quando as empresas atingem alto retorno;
  • Write-off: liquidação, sem retorno para a investidora;

Saber planejar e costurar a estratégia de saída é um fator crítico para o sucesso tanto de empreendedores quanto de VCs. Então, antes de pensar em buscar capital para sua empresa, pense também em buscar cenários através dos quais se consiga saídas inteligentes para sua Startup.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *