Firefox e Chrome Agora Permitem que Você Se Esconda dos Trackers da Web!

A Federal Trade Commission (FTC) anunciou no final do ano passado que estava investigando maneiras de proteger a privacidade dos consumidores, sugerindo que todos os navegadores implementassem uma opção de “Do Not Track.” Isso daria aos usuários a possibilidade de optar por sites mais limpos sem publicidade online – um esforço semelhante ao registro “Do Not Call,” da época em que as solicitações vinham através de telefonemas inconvenientes ao invés de anúncios pop-up.

Em resposta à FTC, a Mozilla e a Google anunciaram alterações em seus navegadores, com a adição de recursos “Do Not Track” para o Firefox e para o Chrome.

O Firefox e o “Do Not Track”

Segundo Alex Fowler, chefe de Políticas Públicas da Mozilla, o novo recurso do Firefox permitirá que os usuários definam uma preferência que irá transmitir a sua vontade de desistir do monitoramento de anúncios. Isso será sinalizado através de um cabeçalho HTTP de Do Not Track com cada pageview ou clique que eles fizerem. “Acreditamos que a abordagem com o cabeçalho tem o potencial de ser melhor para a web em longo prazo, pois é um mecanismo de opt-out mais claro e universal do que com cookies ou blacklists.”

Alex diz que esse esforço representa um avanço em relação as soluções baseadas em cookies, já que é mais persistente e não obriga o usuário a carregar listas de anúncios e anunciantes para funcionar.

Claro que com o cabeçalho, o desafio é a necessidade do reconhecimento e implementação do opt-out pelos sites e navegadores. “A Mozilla reconhece o problema da galinha e do ovo,” disse Alex, “e nós estamos tomando a iniciativa de propor que esse recurso seja considerado para as futuras versões do Firefox.”

Chrome e o “Keep My Opt-Outs”

Já o navegador da Google anunciou o seu Keep My Opt-Outs, a sua solução para abordar as novas sugestões da FTC. O Keep My Opt-Outs é uma extensão do Chrome que permite que você tenha a opção de permanentemente não ter contato com os cookies de rastreamento de anúncios.

Ao contrário da solução do Firefox que utiliza o cabeçalho HTTP, a resposta do Chrome se baseia em cookies e redes de anúncios. Mas a extensão resolve o problema que você enfrenta quando você limpa os cookies de seu navegador – você perderia todas as suas configurações personalizadas, incluindo as informações dos site que você tenha ativado o opt-out. A nova extensão para o Chrome vai manter o opt-out permanentemente.

Há também controles granulares de cookies no Chrome, e a Google diz que modificou o modo incógnito de seu navegador para garantir que todos os cookies, incluindo os do Flash, possam ser bloqueados. Depois de baixar a extensão, você pode verificar suas configurações de privacidade aqui.

Privacidade: A Nova Guerra dos Navegadores

A Microsoft revelou seus planos para o recurso de “Do Not Track” no IE9 em Dezembro, logo após a FTC fazer o seu anúncio sobre a privacidade online. Parece que desta vez a Google e a Mozilla estão tentando alcançar a Microsoft.

Em um comunicado, o presidente da FTC Jon Leibowitz elogiou os esforços, “O feito da Mozilla é uma iniciativa a ser louvada. A empresa reconhece que os consumidores querem escolher quem está acompanhando cada movimento online, e isso é um primeiro passo para dar ao consumidor a escolha sobre quem terá acesso aos seus dados. Também nos demonstra que as opções Do Not Track são tecnicamente viáveis.”

Mas a resposta ao anuncio da Google parecia menos favorável. Na verdade, o New York Times cita um porta-voz da FTC dizendo, “Estamos contentes que a Google está envolvida no processo, mas a Mozilla e a Microsoft estão claramente na frente.” Ouch!

E você, vai utilizar o recurso quando lançado? A abordagem da Mozilla foi uma solução melhor para o problema? Como isso afetará as atuais ferramentas de Web Analytics e Segmentação Behavioral?

9 responses to “Firefox e Chrome Agora Permitem que Você Se Esconda dos Trackers da Web!

  1. Acho válido como opção para o usuário, o ponto é que “there’s no such thing as free lunch”, a maioria dos sites têm seus modelos de negócio baseados em publicidade online que depende de opções de segmentação (geo-ip, frequency e não só behavioral) que usam cookies e outras técnicas que agora são barradas. O impacto não é só na publicidade display, o próprio Google utiliza nos links patrocinados, para não falar na confusão que vai gerar no mercado de Analytics.
    Não me admira que surja algum consórcio de sites que vão barrar usuários caso estes tenham ad-blockers ou no-trackers, parece radical mas é uma defesa do investimento do anunciante e da subsistência dos sites. Do ponto de vista de indústria de internet fico com a impressão que estamos retrocedendo alguns anos, quando não havia inteligência, preocupação com mensuração de resultados, etc.

  2. Vai se adaptar obrigando o cara a desligar isso quando navegar no site deles, da mesma forma de que eles não funcionam se o cara desligar os cookies ou se ele desligar o javascript… Isso já foi tentado e não funcionou. Os sites podem simplesmente se recusar a mostrar conteúdo patrociado por anúncios a quem se recusa a ver os anúncios dos patrocinadores, e pronto, o cara fica sem ver anúncios, mas também fica barrado sem ver mais nada. Ai, ele desliga a ferramenta inútil. Muito mais importante é aperfeiçoar a navegação provativa, ou anônima, numa espécie de conta fantasma, sem referências a nada pessoal seu, só do seu avatar incógnito, separando todos os cookies e tracks numa area dessa conta fantasma virtual que pode simplesmente ser deletada quando desejado.

  3. ORA A OS RESPONSAVEIS PELO CONTEUDO DA WEB NAO PODEM TER ACESSOS AO QUE O USUARIO ACESSA EO CONTEUDO DO MESMO E UMA COISA BASICA NAO SEI COMO ESSES DISPOSITIVOS JA NAO ESTAO ATUANDO A TEMPOS EVITARIA UM MONTE DE CONFUSAO

  4. Mozzila e microsoft na frente? Só porque eles botam uma opção que não vai funcionar?
    A solução do google me parece muito mais eficiente. Você até finge que está se deixando ser rastreado, pois o navegador guarda todos os cookies e tracks, não será barrado pelos sites patrocinados por publicidade, mas mantém você incógnita porque estão todos separados por sites numa área diferente… Pode melhorar, para passar sempre incógnito, a melhor maneira seria fingir que é outra pessoa nova e diferente a cada vez que fosse navegar, e quando necessário voltar a ser uma pessoa que já esteve por lá, só para o site responder, olá, você aqui de novo? quanto tempo? hehehhe

  5. Ótima questão, muitos sites utilizam o sistema de ads para sobriviverem, praticamente todos os sites utilizam ads de modo que os mesmos se adaptem para sua região ou interesse, e na pratica como irá funcionar essa opção? irá esconder o seu ip ao navegar? pois com o numero do ip da para pegar a região do utilizador.

  6. Como assim não podem ter acesso leonardo? Acessar um site é uma troca de informação, é um toma-lá-dá-cá… Você não entra em algum site de conteúdo protegido sem se cadastrar e fornecer seus dados pessoais para ganhar uma conta e uma senha… Como vai voltar lá se não guardar sua conta e senha? Vai ficar se recadastrando seus dados pessoais de novo e de novo e de novo toda vez? Melhor deixar que eles saibam que é você pelo track… E claro que eles sabem por onde você navegou e o que você leu, pelo menos dentro do site deles, o risco de privacidade é eles trocarem essa informação com outros sites, e todos saberem por onde você anda por ai, saberem quais os outros sites que você frequente e o que lê… Por exemplo, algum pai de familia não quer que a esposa dele saiba que ele ainda se diverte como um adolescente passeando por sites de pornografia, e o que acontece se ela estiver navegando e chegar um anúncio relacionado, pode ser constrangedor, mas a verdadeira pretensão é as empresas saberem do que você gosta, o que você curte e acertarem na mosca quando lhe oferecerem publicidade, é bom pra elas, que economizam mandando publicidade de coisas que você não gosta e não curte para te perturbar, e é bom pra você, que pode consumir exatamente o que estava precisando quando menos espera, já que não te obrigam a comprar… O risco e temor de todo mundo é começarem a ameaçar você por conta das coisas que eles sabem que você consome mas não deveria e obrigarem você a comprar algo senão eles deduram você pra todo mundo… E isso seria comercialmente bom? Seria loucura. Um tiro no pé. As pessoas devem se preocupar com privacidade por conta do governo, por conta do patrão, e não por conta do comércio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *