Greenpeace Quer Fontes Renováveis de Energia para a Data Centers

Segundo um relatório recente do grupo Greenpeace, no ano 2020 os grandes players da computação em nuvem e da nuvem de dados poderão consumir mais energia que a França, Alemanha, Canadá e Brasil juntos. O grupo está alertando empresas de tecnologia que utilizam grandes data centers a começar a utilizar fontes de energia renováveis, avisando que “o crescimento da computação em nuvem pode vir a aumentar grotescamente a emissão de gases causadores do efeito estufa”.

O Greenpeace está chamando a atenção para uma falha central na dualidade da tecnologia, sua capacidade de ajudar o mundo e, ao mesmo tempo, a velha história da poluição que prejudica a todos.

O relatório, de nome “Make IT Green: Cloud Computing and its Contribution to Climate Change” (algo parecido com, Torne a TI Verde: Computação em nuvem e sua contribuição à mudança de clima), “mostra como o lançamento de dispositivos de baseados em computação em nuvem como o iPad, pode contribuir para um rastro de carbono muito maior que o setor de TI costumava deixar.”

O relatório destaca a recente parceria do Facebook com um data center em Oregon, EUA, que é sustentado principalmente por carvão, “a maior fonte de emissão de gases do EUA.” Por outro lado, o Yahoo! “preferiu construir seu data center fora de Buffalo NY, que é sustentado por energia proveniente de uma usina hidrelétrica, reduzindo em muito sua emissão de gás carbono.” O relatório continua falando que a Google, foi “aprovada recentemente como um negociante regulamentado de eletricidade”, o que significa que a energia que a empresa cria e não utiliza, pode ser vendida para empresas de energia.

Sabemos que TI verde é uma tendência forte, e apoiamos a ideia. Será que os grandes players vão entender o recado?

2 responses to “Greenpeace Quer Fontes Renováveis de Energia para a Data Centers

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *