Info@trends 2° dia: Chris Anderson e o Crowdsourcing

Chris Anderson, editor da Wired e autor do best-seller A Cauda Longa, foi a grande atração do segundo dia do Info@trends em São Paulo. Com uma palestra de uma hora e meia, mas objetiva e voltada para o público leigo, Chris falou sobre empreendedorismo, contou sua história, de seus pais empreendedores e da empresa de robôs que montou com um jovem mexicano… mas isso é assunto para outro post. Hoje vamos falar do assunto principal tratado por Chris: crowdsourcing.

Crowdsourcing é o conceito que move as iniciativas, produtos, consultorias e inovações de Chris Anderson. Para ilustrar a palestra, ele contou a história do filme Jogada de Gênio (Flash of Genius), – excelente, na minha opinião – em que um empreendedor da década de 60 inventa o parabrisa intermitente. O filme mostra que seu maior erro foi não ter licenciado a tecnologia para as montadoras automotivas, ou melhor, para a comunidade. Resolveu ser ele mesmo o fornecedor, e isso gerou diversos fatos bastante interessantes – assista ao filme, vale a pena.

Chris citou o carro open-source como exemplo oposto ao filme: um projeto aberto para usuários de internet sugerirem características e tornarem possível construir o produto perfeito, feito sob medida para seus consumidores. O crowdsourcing nesse ponto traz três aspectos vantajosos:

  1. Nesse projeto, não existem agências reguladoras e regras de produção;
  2. Como o carro foi construído pelos próprios consumidores, ninguém possui autoridade ou comando sobre eles;
  3. Essa é a cauda longa da indústria automotiva, em que cada um sabe quais as características mais interessantes que agradam a todos;

E assim é que se gera inovação. Segundo o guru, o meio mais rápido de se inovar é através da web: abrir o processo de inovação, trazer as pessoas para ajudar, ter a contribuição dos usuários. Não apenas ser open source, mas incluir o cliente no processo de criação, que o fará mais rápido e barato.

E ainda complementa com uma questão chave para os dias de hoje: a publicidade na web, para onde vai? Com o crowdsourcing, você não precisa se preocupar com isso, porque cada usuário vira um publicitário, evangelizador do seu produto, e essa propaganda é gratuita.

Alguns exemplos são os serviços como o Get Satisfaction e o User Voice que muitas startups e empresas grandes estão usando. E a FIAT, ironia ou não, também sabe muito bem do que Chris Anderson está falando: FIAT Mio.

Finalizando com chave de ouro, Chris abordou outro problema da realidade brasileira: encontrar talentos para formar equipes em empresas. Obviamente, a resposta é: crowdsourcing.

0 responses to “Info@trends 2° dia: Chris Anderson e o Crowdsourcing

  1. Com essa proposta é que nasceu a LabelDESAFIOS, minha start-up. As empresas lançam “desafios” e quem der a melhor solução leva o prêmio.

    Dessa maneira uma empresa pode contar com o trabalho de várias pessoas e só pagar pelo melhor. Será exploração? Acho que não. É uma excelente oportunidade para quem está atualmente desempregado ou tem tempo livre para algum trabalho esporádico. O trabalho criativo parece ser muito mais promissor visto dessa perspectiva.

    No entanto seria inviável viver somente desse tipo de trabalho, pois voce trabalha e nao tem garantia alguma de receber. Nem sempre é vantajoso.

  2. Com essa proposta é que nasceu a LabelDESAFIOS, minha start-up. As empresas lançam “desafios” e quem der a melhor solução leva o prêmio.

    Dessa maneira uma empresa pode contar com o trabalho de várias pessoas e só pagar pelo melhor. Será exploração? Acho que não. É uma excelente oportunidade para quem está atualmente desempregado ou tem tempo livre para algum trabalho esporádico. O trabalho criativo parece ser muito mais promissor visto dessa perspectiva.

    No entanto seria inviável viver somente desse tipo de trabalho, pois voce trabalha e nao tem garantia alguma de receber. Nem sempre é vantajoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *