Autor Convidado: O ContaAzul é um sistema de gestão para micro e pequenas empresas que ajuda seus clientes nas atividades financeiras do dia a dia. Confira o texto escrito para contribuição no Webholic.

O trabalho de gerenciar as finanças das startups muitas vezes é visto com um certo desprezo pelos empreendedores. É compreensível que os empresários queiram investir seu tempo no crescimento e desenvolvimento de seus negócios e acabem vendo o acompanhamento financeiro como uma tarefa burocrática e pouco interessante. Porém, eles não poderiam estar mais errados.

As métricas financeiras das empresas são dados importantes que ajudam o empreendedor a tomar decisões estratégicas e acompanhar o crescimento da sua startup. Elas são indicadores da evolução do seu negócio e devem ser acompanhados com cuidado.

Veja algumas das mais importantes:

Burn rate

É um sinônimo para fluxo de caixa negativo. O burn rate mede a taxa na qual os recursos financeiros da empresa são gastos. É apresentado no formato “quantia gasta por mês”. Por exemplo: se a sua startup gasta R$5.000 mensalmente e só gera R$2000, seu burn rate é de R$3000.

O burn rate não é apenas um número de fluxo de caixa. Ele é necessário para determinar uma informação vital na sua estratégia de negócios.

Months of cash left

A maior importância do burn rate é que através dele é possível saber quanto tempo resta à empresa, caso permaneça naquela situação. Esta métrica é conhecida como months of cash left, em tradução literal: meses de dinheiro restante.

Para obter o months of cash left, basta dividir o capital disponível pelo burn rate. Após este período, a empresa estará no zero e precisará urgentemente começar a gerar lucro ou conseguir um novo investimento para que não vá a falência.

Acompanhe sempre o burn rate, determine quantos meses lhe restam e compare estes números aos do seu plano de negócios. Se seu months of cash left estiver abaixo do planejado você deve refazer seus planos ou reduzir o burn rate. O fundamental é que este acompanhamento seja constante. Desta forma, você terá tempo de reagir caso algo não esteja indo bem.

Custo de aquisição de cliente

Também chamado de CAC ou Customer Acquisition Cost, é uma medida de quanto dinheiro é gasto na captação de cada novo cliente.

Determinar o seu CAC não é complicado. Você deverá somar todos os custos relativos a publicidade, SEO, marketing, centrais de atendimento, call centers e demais investimentos em aquisição de novos clientes em um determinado período. Depois basta levantar quantos clientes você conseguiu naquele mesmo período e dividir o primeiro número pelo segundo. Por exemplo: se em um mês você investiu R$3.000 e captou 100 novos clientes, seu CAC é de R$300.

Seu CAC tem impacto direto sobre as suas margens de lucro, por isso deve ser observado atentamente. Mantenha registros das mudanças em suas estratégias de aquisição de novos clientes e compare a variação do CAC nestes processos para aprender quais funcionam melhor para a sua startup.

Lifetime Value

Traduzido literalmente como valor do tempo de vida. É uma estimativa de quanta receita um cliente vai gerar durante todo o tempo de relacionamento dele com a sua empresa. É uma métrica que será usada frequentemente junto ao custo de aquisição do cliente.

É imperativo que o lifetime value seja consideravelmente mais alto que o CAC para que suas operações gerem lucro. Se seu custo de aquisição está muito próximo ao valor do cliente, você precisa repensar sua estratégia urgentemente. A decisão exata vai depender do tipo do seu negócio. Você pode tentar reter o cliente por um tempo maior, aumentando seu lifetime value ou reduzir os custos de aquisição.

O lifetime value é, por definição, uma estimativa. É impossível ter certeza de quanto tempo exatamente aquele cliente permanecerá com sua empresa ou quanta receita ele irá gerar. Os diversos modelos para fazer este levantamento variam em complexidade e precisão. Escolha um adequado para as necessidades da sua empresa, mas não deixe de fazê-lo.

Revenue per head

Também apresentada como revenue per employee, ou receita por empregado. É calculada dividindo a receita total gerada pela empresa em um período pelo seu número de funcionários. A receita por empregado é um indicador da produtividade média de cada pessoa que trabalha em sua empresa.

Esta métrica pode ser usada para comparar a produtividade da sua empresa com a de outras que atuem em mercados semelhantes ao seu e também para acompanhar a evolução da sua própria produtividade. Se o seu número de funcionários aumentou e a receita da empresa se manteve igual, por exemplo você pode estar com um problema de produtividade.

Agora que você conhece algumas das métricas financeiras mais importantes, é hora de colocar este conhecimento em prática. Acompanhe estes números e entenda como elas indicam e influenciam a saúde do seu negócio. Você já faz este tipo de trabalho? Acompanha outras métricas que não citamos aqui? Conte pra gente, nos comentários!