O iPad Mostra Suas Garras Com Revistas e Jornais: Será que a Moda Pega?

Quando o iPad da Apple chegou as vitrines dois meses atrás, muitos se perguntavam se ele seria tão onipresente e popular como o iPhone ou o iPod Touch. Uma área que muitos pensaram que fosse se beneficiar do iPad era a das publicações, e algumas estatísticas anteriores podem ser um sinal de que a indústria está ganhando força com o novo dispositivo. A revista Wired e o The Financial Times viram retornos significativos em seus aplicativos para o iPad, e com alguma ajuda da Adobe, outros editores em breve poderão se juntar a festa com mais facilidade.

Na semana passada, a Wired anunciou que havia vendido 24 mil cópias de seu app do iPad no primeiro dia de lançamento. De acordo com o blog Epicenter, as vendas no primeiro dia do aplicativo da Wired ofuscou as vendas da edição de Julho do aplicativo da Popular Science, que vendeu no total apenas 18.000 apps desde o lançamento do iPad em Abril. Com um preço de US$ 4,99, o aplicativo da Wired rapidamente deu a editora Conde Nast cerca de 84.000 dólares depois do 30% de corte da Apple sobre as compras na AppStore.

Da mesma forma, o blog Mobile Entertainment informou recentemente que o The Financial Times,um jornal de Londres, já vendeu 130.000 cópias de seu app para o iPad nas duas primeiras semanas. Este valor já é mais do que um terço dos 350.000 aplicativos para iPhone que o Times vendeu desde seu lançamento, em Julho de 2009. O outro fato surpreendente é que o app para o iPad do The Financial Times só tem sido vendido no EUA e ainda será lançado na Inglaterra, onde o jornal é publicado.

Será este um sinal claro de que o iPad mudou a forma como as pessoas pensam sobre a leitura em um dispositivo móvel? Será que a tela menor do iPhone é a culpada pelas vendas estarem tão baixas em relação ao iPad? Ou será que a novidade do iPad ainda está para se desgastar? De acordo com a Mobile Entertainment, o Stephen Pinches, do The Financial Times, estimou que 2010 seria o primeiro ano em que as publicações iriam lucrar mais com conteúdo do que com publicidade – uma revelação surpreendente na indústria editorial.

Os editores que estão pensando em entrar em ação, em breve terão um processo de criação de aplicativos simplificado com um novo software da Adobe chegando. O blog Deep Tech da CNET reportou recentemente que a Adobe planeja disponibilizar um software em que os editores podem de forma rápida e fácil fazer um layout interativo para o iPad. Trabalhando em conjunto com a versão recém-lançada CS5 do InDesign, os editores podem produzir aplicativos de multimídia interativa utilizando o software da Adobe que ainda será lançado – o mesmo usado para criar o popular aplicativo da Wired para o iPad.

É evidente que o iPad está fornecendo um impulso temporário nas vendas dos publishers, mas a questão permanece: será que vai durar? O iPad ainda é um dispositivo novo e muitas dessas vendas podem ser atribuídas à caça exploratória a aplicativos que muitos usuários novos do dispositivo são propensos a fazer. A Wired e o The Financial Times são publicações que são adaptadas para serem vendidas em maior número no iPad do que em outros dispositivos. Fãs de tecnologia, assim como os investidores ricos de Wall Street – dois grupos propensos a lerem as publicações – tem mais chances de terem o iPad tanto por causa de seu preço e status, como pelo simples fato de no momento o dispositivo ser um brinquedo geek para early-adopters.

Se outras publicações vão alcançar resultados semelhantes no iPad não sabemos ainda, mas pelo jeito muitas irão tentar graças ao sucesso de vendas do iPad. Nos primeiros dois meses a Apple vendeu dois milhões de iPads, e com esses números os publishers não resistem. Esperamos que com o software da Adobe, ou outro software com o mesmo fim, os editores tenham a capacidade de construir aplicativos comparáveis com os “cases” de sucesso da Wired e do The Financial Times.

0 responses to “O iPad Mostra Suas Garras Com Revistas e Jornais: Será que a Moda Pega?

  1. Pessoal, o iPad (e outros produtos similares) foi criado visando substituir o hábito de ler livros e revistas impressos em papel. É bom para o meio ambiente mas péssimo para a gigantesca indústria do papel e da impressão em papel (que, por sinal, critica imensamente o produto “por baixo dos panos”, torcendo para que as coisas continuem como estão!). Antes de assumirem uma opinião alheia como sendo a própria, pensem um pouco na situação e tirem as próprias conclusões!!!!!!!

  2. Pessoal, o iPad (e outros produtos similares) foi criado visando substituir o hábito de ler livros e revistas impressos em papel. É bom para o meio ambiente mas péssimo para a gigantesca indústria do papel e da impressão em papel (que, por sinal, critica imensamente o produto “por baixo dos panos”, torcendo para que as coisas continuem como estão!). Antes de assumirem uma opinião alheia como sendo a própria, pensem um pouco na situação e tirem as próprias conclusões!!!!!!!

Deixe uma resposta para Ricardo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *