Alguns bons anos atrás, o André Fonseca, da Dito me apresentou o blog do David Cummings.

Em seu blog, o fundador da Pardot, comenta os principais prospectos dos IPOs de tecnologia (especialmente de SaaS) do mercado americano, sempre que eles submetem o formulário para SEC.

E ele não está sozinho, outro blogger que acompanho e que também tem este hábito é o Tom Tunguz. Mais recentemente, com o IPO do SnapChat, parece que a moda pegou de vez.

Por isso, quando vi a notícia do IPO da Netshoes (mesmo não sendo uma empresa de SaaS), resolvi tentar fazer algo similar. Tive 2 motivos principais:

  • Aprender um pouco mais sobre o processo de abertura de capital de empresas e como as coisas funcionam em um IPO;
  • Ter uma opinião menos enviesada sobre o assunto, consumindo informações direto da fonte e não da imprensa, afinal, teremos muitos mais IPOs brazucas nos próximos anos (wishful thinking).

Criei este post para compartilhar aqui as minhas notas e meus aprendizados. Espero que gostem e por favor, enviem feedbacks, sugestões e possíveis correções, ok? Quebrei um post em 2 partes principais. A primeira, mais educativa, explica para leigos o que é um IPO e por quê as empresas buscam abrir seu capital. Já na segunda parte, entro nos dados do IPO da Netshoes e compartilho os pontos principais com vocês.

O que é um IPO, afinal?

Quando uma empresa é fundada, ela é considerada uma empresa privada, ou de capital fechado. Na prática, isso significa que apenas um número delimitado de acionistas tem acesso as ações da empresa. No caso da Netshoes, os principais acionistas da empresa, até o IPO, são seus fundadores, alguns funcionários e os investidores.

Quando uma empresa decide abrir seus capital, através de um IPO, ela permite que a população em geral possa comprar e vender ações da companhia. O nome IPO significa Initial Public Offering, que é a oferta inicial de ações ao mercado como um todo.

Uma vez que uma empresa abre seu capital num IPO, ela precisa publicar informações financeiras trimestralmente e manter uma alta transparência com seus acionistas e o público em geral.

Por quê as empresas fazem IPOs?

Os 2 principais motivos para uma empresa abrir seu capital são:

  • Captar mais recursos para aquisições, expansão e garantir que a empresa consiga crescer e se consolidar. Se houver demanda do mercado, a empresa pode sempre emitir novas ações e assim conseguir captar recursos com mais flexibilidade;
  • Dar liquidez aos seus acionistas, permitindo que as pessoas e instituições que possuem ações possam fazer suas “saídas” caso queiram.

Com isso em mente, vamos começar nossa análise do IPO da Netshoes.

Estudando/analisando IPO da Netshoes

Quando uma empresa abre seu capital, ela precisa escolher em qual bolsa de valores suas ações estarão listadas e enviar um documento descrevendo sua oferta. Normalmente, no Brasil as empresas listam suas ações na BM&F BOVESPA, mas é comum ter ofertas híbridas, como por exemplo da Azul que optou por listar na BM&F e nos EUA.

No caso da Netshoes, a empresa optou por fazer seu IPO no exterior, negociando suas ações na NYSE (Bolsa de Valores de New York). O formulário enviado para o governo americano descrevendo o ativo a ser negociado no IPO pode ser encontrado aqui. Let the games begin.

A primeira dúvida: F-1 vs S-1:

Quando vemos notas sobre IPOs nos EUA, a fonte de dados mais comum é o formulário que é enviado para a SEC, chamado de S-1, ou S-1 Filling.

Uma particularidade que notei é que o nome do formulário da Netshoes, o tipo que constava era F-1, diferente do tradicional S-1 que estava acostumado a ver. Dei uma googlada para entender. O formulário F-1 é para empresas privadas estrangeiras, enquanto o S-1 é para empresas Americanas. A Netshoes é uma empresa incorporada nas Cayman Islands, então a dúvida estava solucionada.

Sobre a Netshoes:

A empresa é líder em ecommerce nos segmentos de esportes e estilo de vida e um dos maiores varejistas da América Latina por volume de vendas.

Eles operam no Brasil, Argentina e Mexico e já venderam para mais de 12.8 milhões de pessoas. Eles possuem 2 marcas principais a Netshoes e a Zattini.

A empresa foi fundada em 2000 por Marcio Kumruian e Hagop Chabab. Eles começaram como uma loja física. Em 2007 eles fecharam as lojas físicas e migraram para o mercado online.

O foco da empresa é em verticais de produtos com altas margens, com ciclos curtos de substituição e de logística simples. Alguns pontos chave:

  • 5.6 milhões de clientes ativos, com crescimento de 18% em 2016;
  • 10.3 milhões de pedidos, crescimento de 20% em 2016;
  • 74% dos pedidos para clientes recorrentes;
  • 32% dos pedidos são feitos em mobile;
  • Na operação brasileira, fluxo de caixa positivo desde 2014 e EBITDA positivo desde 2015;

A expansão da empresa se dá através dos seguintes pilares:

  • Liderança no mercado digital: Altos investimentos na criação da marca da empresa;
  • Expansão geográfica: Do Brasil para América Latina
  • Diversificação de marcas e verticais: Lançaram a marca Zattini em 2014 e estão iniciando consolidação vertical de produtos em alguns segmentos;
  • Monetização de tráfego: Área ainda inicial. Estão em busca de novos produtos e serviços para monetizar melhor a base atual. A última aposta é o marketplace de lojas parceiras e os cartões de crédito co-branded;

Sites operados pela Netshoes:

  • Netshoes.com.br (e suas variações por país);
  • Zattini.com.br

Oportunidade de Mercado: América Latina

Nesta sessão, a Netshoes discorre sobre o mercado latino e suas particularidades. Bem bacana para quem empreende com uma tese localizada no mercado LatAm.

  • América latina é a 3a maior audiência online do mundo e o Brasil é o 4o maior país em audiência online;
  • Esportes, moda e beleza são um espaço gigante no Brasil, representando 28% das vendas de ecommerce;
  • Penetração da internet é baixa, mas está acelerando. No Brasil ela está em 2.2%, comparada a 7.3% nos EUA;
  • Adoção mobile alta e crescendo rápido;
  • Ciclos curtos de substituição de produtos;
  • Baixa penetração de cartões de crédito, mas crescendo rápido;
  • Confiança em lojas online crescendo rápido;
  • No Brasil, o parcelamento é a forma de pagamento mais adotada e isso pode ser desafiador para o fluxo de caixa;

Competição:

Gostaria que tivessem aprofundado mais aqui. A empresa afirma não ter competidores estabelecidos no segmento de esportes. Em beleza e moda, eles acreditam estar em posição para assumir a liderança em 12 meses.

  • Varejo Físico;
  • Lojas ecommerce pure play;

Métricas financeiras da empresa

Receitas:

  • 2014 — R$1,125 bilhões
  • 2015 — $1,505 bilhões
  • 2016 — $1,739 bilhões

Prejuízos:

  • 2014 — R$144.4 milhões
  • 2015 — R$99.5 milhões
  • 2016 — R$151.9 milhões

EBITDA (negativo)

  • 2014 —R$100 milhões
  • 2015 — R$46.5 milhões
  • 2016 — R$43.9 milhões

Prejuízo total acumulado: R$677,37 milhões

Métricas operacionais:

Essa parte é bem legal, pois mostra os principais indicadores acompanhados pela empresa.

GMV

É a soma de vendas e reembolsos totais da loja e do marketplace da Netshoes. Ela dá uma dimensão do volume de vendas gerado pela plataforma Netshoes.

  • 2014 — R$1,125 bilhões
  • 2015 — R$1,505 bilhões
  • 2016 — R$ 1,739 bilhões

Clientes ativos

O número de clientes que fizeram compras nos 12 meses anteriores.

  • 2014 —3,753 milhões
  • 2015 —4,676 milhões
  • 2016 — 5,562 milhões

Total de pedidos:

Número total de vendas realizadas.

  • 2014–6,846 milhões
  • 2015–8,497 milhões
  • 2016–10,268 milhões

% de vendas através de dispositivos móveis

  • 2014–11.6%
  • 2015–20.2%
  • 2016–32.2%

Ticket médio do carrinho:

  • 2014–R$210.8
  • 2015–R$219.1
  • 2016–R$206.6

Margens:

As margens brutas da empresa caíram de 32.9% para 31.7% em 2016, principalmente devido a redução do ticket médio. Isso se deu pelo contexto econômico do Brasil, que levou a empresa a aumentar as vendas através de descontos e promoções.

Custos de marketing:

Os custos de marketing da empresa caíram de 13.2% para 12,5% do volume total de vendas em 2016.

Cobranças e recebimentos:

  • Oferecem múltiplos meios de pagamentos;
  • Até 15 parcelas no cartão Netshoes;
  • Até 10 parcelas nos demais cartões;
  • Boleto apenas no Brasil;
  • 72,8% das vendas são parceladas;
  • Possuem um departamento de riscos para analisar transações;

Capital de Giro

O fluxo de caixa da Netshoes é altamente impactado pelas sazonalidades do negócio.

O maior volume de vendas vem no último trimestre (black friday, natal, etc.)e isso gera uma grande necessidade de caixa no primeiro trimestre consecutivo.

Para isso a empresa conseguiu reduzir bastante seu fluxo de giro, de uma média de 98 dias em 2014 para 43 dias em 2016. Isso foi feito através de:

  • Redução de dependendência de fornecedores e renegociação do cronograma de pagamentos;
  • Foco em novas verticais com maiores margens;
  • Negociação de recebíveis com um parceiro que paga o valor adiantado para o fornecedor com um desconto e cobra da Netshoes o valor original em uma data futura;
  • Redução dos prazos de parcelamento para o cliente;
  • Tempo médio para contas a pagar foi de 58 dias em 2014 para 111 dias em 2016;
  • Tempo médio para contas a receber foi de 70 dias em 2014 para 49 dias em 2016.

Investimentos/aportes recebidos pela Netshoes

  • Maio 2014: US$168.6 million — Equity
  • Março 2015: US$45.0 million — Equity
  • Fevereiro 2017: US$30.0 million — Convertible debt

Composição acionária:

  • Marcio Kumruian — 17.29%
  • Hagop Chabab — 9.80%
  • Nicolas Szekasy — 0.10%

Tabela completa abaixo:

Acionistas da Netshoes

Cultura e Equipe:

  • Foco total na melhor experiência para o cliente. Se orgulham de ter atendimento de clientes de altíssima qualidade;
  • Programas como “folga no aniversário”, “horários flexíveis” e “bermuda todos os dias” para criar um ambiente bacana;
  • Escritórios com áreas de esporte, jogos, TV, etc.
  • Total de funcionários: 2687
  • Brasil: 2414
  • Argentina: 175
  • México: 98
  • Contam com o apoio de temporários para ocasiões como final de ano e Black Friday;
  • Diversidade: Mulheres são 50% da mão de obra;

Riscos do negócio:

Separei apenas os mais relevantes, dado que, por padrão, os SEC fillings tendem a agregar muitos fatores externos e padrão da indústria de tecnologia, como falhas de datacenters, imprevistos climáticos, etc.

  • Desde a fundação da empresa, nunca tiveram lucros ou fluxo de caixa positivo;
  • Dependência alta de buscadores e email marketing para gerar tráfego;
  • Risco de problemas de capital de giro, devido ao volume de vendas parceladas;
  • As categorias de produto costumam ser consideradas despesas discricionárias e por isso, são mais afetadas por fatores externos da economia;
  • A competição intensa do varejo online pode afetar negativamente a aquisição de clientes e rentabilidade;
  • Baixo volume de parceiros de logística, podem afetar a experiência de entrega para consumidores;
  • Dependência parcial em um número de marcas de luxo;
  • Desafios logísticos de expansão naturais de LatAm;
  • Grande volume de produtos importados que podem sofrer problemas logísticos e de variação cambial;
  • Dependência de executivos chave;
  • Lidar com os requisitos de se tornar uma empresa de capital aberto nos EUA pode ser um problema;

Riscos associados a fazer negócios no Brasil e América Latina:

  • Inflação e os esforços do governo Brasileiro para reduzí-la podem ter efeitos adversos no valor das ações;
  • Instabilidade da moeda pode aumentar custos operacionais;
  • A percepção de risco dos mercados latinos podem afetar o preço da ação;
  • A regulação da internet no Brasil é jovem e seu futuro é incerto;
  • O código Brasileiro de proteção ao consumidor pode oferecer penalizações a empresa no futuro;

Notas finais:

Eu acho que a Netshoes tem tido um crescimento constante e feito um grande investimento para maximizar sua efiência nos últimos anos. Minimizar as perdas e continuar crescendo para se consolidar é um grande desafio, pois cada um puxa em uma direção diferente. São 2 pratos difíceis de equilibrar ao mesmo tempo.

Para chegar até aqui, foram necessários quase R$700m para levar a empresa a R$1,7bilhões de faturamento, com R$150m de prejuízos em 2016. Isso mostra que os caras são bastante agressivos e estão mirando construir algo gigante em um espaço super competitivo.

Acho empolgante termos um IPO Brazuca no mercado americano, ainda mais desta dimensão e se correr tudo bem, a Netshoes vai abrir a porta para muita gente.

Brigar com Amazon e B2W, mantendo as perdas sob controle e o mercado com apetite vai ser bastante desafiador. Estamos torcendo por eles!

Parabéns a toda a equipe da Netshoes e boa sorte neste IPO!

E você, o que achou da notícia do IPO do Netshoes? Investir R$ 700 milhões para criar um gigante que vende R$ 1,7bi é um bom negócio? Não deixe de comentar!

P.S. Se você curtiu este artigo, me ajude a espalhá-lo clicando no abaixo.E se quiser acompanhar minhas postagens, não deixe de assinar minha newsletter e seguir esta publicação aqui no Medium.