Onde se Aprende o Empreendedorismo? Na Escola da Vida.

Em um post recente do fundador do Venture Hacks Naval Ravikant nos fez pensar. “Qual é o valor da pós-graduação?”

Ravikant sugere que as incubadoras e programas de mentoring como o YCombinator e o Techstars são as novas pós-graduações.

Ele escreve: O modelo é diferente, mas muito eficaz, porque ao contrário das escolas de negócios programas como o YCombinator pagam aos empreendedores, e permitem que os fundadores sejam seus próprios chefes, encorajando o trabalho único, e abandonando a cultura do “side project”.

Além das ponderações do Ravikant, o fato de que todos os participantes das incubadoras estão ligados aos conselheiros através de um acordo financeiro isso significa capacidade de manter a motivação além do “curso” para continuar um trabalho de parcerias, networking e muitos novos contatos. No entanto, antes de acabar com a idéia da pós-graduação de uma vez, vale lembrar que muitos dos empresários e investidores top do Vale do Silício são graduados no MIT, Harvard e outros.

Talvez a questão aqui não seja tanto sobre uma disputa das incubadoras com instituições tradicionais, mas sim sobre o valor de bons mentores que tenham uma participação sucesso do empreendedor.

E você empreendedor, qual é a melhor opção, investir pesado em formação antes de abrir um negócio ou meter a mão na massa e viver a escola da vida?

0 responses to “Onde se Aprende o Empreendedorismo? Na Escola da Vida.

  1. Gosto da ideia de manter uma formação mais formal, porém, sem dúvida alguma, nunca aprendi tanto quanto após ter começado realmente a fazer!
    Acho que são linhas tênues e não dá pra generalizarmos. Mas se for pra decidir, acho que o retorno de “fazer” é muito superior.

  2. Ao contrário de muitos empreendedores mais “radicais”, eu acho que pelo menos uma graduação é essencial. Abri dois negócios enquanto me graduava, e apesar de me dedicar bastante e acreditar em ambos (e te-los feito dar certo), não larguei a faculdade, ao contrário do que muitos empreendedores famosos que nos inspiram (Gates, Jobs, Zuckerberg) fizeram. Levei sete anos para concluir o curso (o que foi até bom, fiz mais networking :D), e embora muito do que se veja num banco de faculdade não tenha conexão clara com a prática, você acaba exercitando bastante sua capacidade de resolver problemas (qualquer problema!) e isso será útil por toda a vida.

    Dito isso, é óbvio que a experiência de fazer é indispensável e insubstituível. Por isso que eu acho que o melhor momento para começar a empreender é durante a faculdade, pois une-se a formação teórica ao “do it yourself”, numa época em que geralmente o jovem não tem grandes respon$abilidades e vive num ambiente fértil e propício para ideias 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *