PayPal Lançará Serviço de Micropagamentos Até o Final do Ano

A Associated Press publicou que o serviço de pagamentos online PayPal “planeja lançar um produto até o final do ano” que vai fazer com que os micropagamentos – transações que envolvem pequenas quantias de dinheiro – se tornem mais rápidos e transparentes. A empresa já se dedicava a fazer micropagamentos possíveis com taxas de transação mais baixas, mas uma integração facilitada com outros serviços realmente poderia tornar mais viável o modelo de micropagamentos, que vem ganhando pouca tração nos mercados.

Existem alguns problemas com a venda online de mercadorias extremamente baratas. Em primeiro lugar, sobre o consumidor final, o tempo que demora a preencher um formulário online de cartão de créditos e com informações de faturamento pode valer mais do que o que está comprando – principalmente se for algo como um artigo único ou uma música. Mas do lado do comerciante, as taxas de transações pagas a sistemas de pagamentos online podem reter uma parcela tão grande da venda que pode fazer não valer a pena. Serviços como o PayPal tem trabalhado para resolver esses problemas, oferecendo checkouts rápidos e taxas reduzidas para transações menores, mas um problema maior ainda existe – o consumidor muitas vezes precisa parar com o que estava fazendo para completar a transação.

O vice-presidente do PayPal Scott Thompson disse à Associated Press que este seria o principal problema que o serviço pretende resolver com uma nova oferta de micropagamentos – uma integração mais transparente.

“A intenção é mantê-lo na experiência, e não forçá-lo a fazer outra coisa… e manter o aspecto econômico interessante para todas as partes”, disse ele.

Ultimamente o mercado de micropagamentos tem esquentado, já que os produtos digitais como a mídia online e os itens de jogos continuam a ganhar popularidade, além disso, as velhas mídias procuram novas maneiras de fazer dinheiro online. Em Junho vimos a entrada da Google nos micropagamentos para sites de mídia com o NewsPass. Outra empresa, a Flattr, recentemente chamou a atenção com um sistema de micropagamentos em que os usuários podem designar uma quantia de início e, então, dividi-la entre o número de criadores de conteúdo – uma ideia interessante que pode chamar a atenção de alguns grupos, mas certamente não de todos. Até o Facebook está na jogada com o Facebook Credits, um produto que a empresa vem trabalhando para redefini-lo.

A grande jogada aqui é que o PayPal é um nome que se tornou sinônimo de pagamentos online, e se o serviço conseguir fazer com que o micropagamento seja mais viável, então veremos uma grande mudança na forma como os meios de mídia e outros criadores de conteúdo possam oferecer seus produtos. Em vez de esconder o conteúdo em paredes de pagamentos, podemos começar a ver artigos e outras mídias mais acessíveis.

Para dar certo o plano do PayPal é preciso fazer com que o consumidor não tenha a necessidade de parar o que esta fazendo para realizar suas compras. O serviço deixará que o usuário compre até certo valor, por exemplo US$ 10, antes da complicação e do envio da conta. Muitos sistemas já oferecem serviços como este, mas quando você compra US$ 10 de créditos com a empresa, você terá que gastar por lá. Com o PayPal e outros serviços similares, a vantagem seria que os consumidores poderiam gastar o dinheiro em qualquer site que aceite o sistema do PayPal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *