Peixe Urbano Recebe Aporte de Capital Milionário da BenchMark Capital!

Agora tudo faz sentido. No ano passado tivemos a oportunidade de conversar com Matt Cohler, um dos investidores/representantes do grande fundo de venture capital americano, o Benchmark Capital, que na época, afirmou  estar fazendo uma pesquisa sobre o mercado local. Foi um papo muito interessante, e percebemos o grande interesse do Ex-VP de empresas como Facebook e também do Linkedin, no mercado local, mas só agora descobrimos a razão da visita (ou o resultado da pesquisa!).

O pioneiro brasileiro de compras coletivas, Peixe Urbano, recebeu um investimento massivo de capital do fundo que já investiu em empresas como: Twitter, Ebay, Quora, Red Hat, MySQL e várias outras. O valor do investimento e a participação da empresa não foram divulgados.

O mercado de compras coletivas é um dos segmentos que mais cresce (e também um dos mais competitivos) na internet brasileira. Já listamos mais de 200 players e a cada dia que passa aparecem novos aventureiros.

Segundo o site Alexa.com, que provê rankings dos principais sites do mundo, o Peixe Urbano é hoje o site número 58 do ranking dos mais acessados por aqui. Seus principais concorrentes são: Groupon (Alexa Rank número 22), e Clickon (Alexa Rank número 96).

Após receber como sócio o apresentador Luciano Huck, o Peixe Urbano agora se arma para conseguir crescer ainda mais rápido e seguir contratando em velocidade acelerada. A startup, com apenas 9 meses, já conta com 300 funcionários e está abrindo mais de 100 vagas, inclusive com diversos cargos de gestão, para profissionais interessados em se juntar ao jovem e bem sucedido time. (Se quiser se candidatar, confira algumas vagas aqui!) A empresa, que já conta com escritórios no Rio de Janeiro e no Vale do Silício, agora está começando a montar um escritório em São Paulo também.

Neste pouco tempo, a empresa acumulou 5 milhões de usuários e afirma já ter economizado R$ 120 milhões para seus clientes.

Até hoje já foram vendidos 2 milhões de cupons e o site recebe 20 milhões de visitas por mês. O Peixe Urbano já está em 35 cidades brasileiras.

0 responses to “Peixe Urbano Recebe Aporte de Capital Milionário da BenchMark Capital!

  1. Tudo muito legal, mas seria bacana mesmo ver o seguinte:

    1) qual foi o retorno das promoções para os comerciantes? quanto eles recuperaram do investimento na forma de descontos (se é que recuperaram)?

    2) mesmo no melhor dos cenários quanto à primeira questão, qual o efeito continuado para um comerciante de ter feito uma promoção (se é que existe alguma)?

    Aliás, essas não são dúvidas exclusivas do Peixe Urbano, mas sim do GroupOn e de todos os outros que os copiaram.

    Por fim, acho que valeria a pena dar uma comparada nos discursos daqueles que congratulam os empreendedores em questão e, há apenas alguns meses, criticavam os clones (descarados ou com alguma adaptação) entre as startups brasileiras.

    http://aceleradora.net/2010/08/05/quanto-vale-sua-startup-parte-4/ (vide comentários)

  2. Apesar do Peixe Urbano estar em 56 no Alexa, ele ainda é superior ao GroupOn, ni próprio alexa mesmo, você pode visualizar o perfil dos usuarios e se dessas visitas que eles fazem quantas visitas consistem em apenas olhar a 1 pagina, mais de 60% para o GroupOn e menos de 45% para o Peixe Urbano.
    Outro dado interessante, é o tempo que cada usuário gasta olhando cada um destes sites , enquanto no peixe urbano esse valor chega à quase 6 min o GroupOn fica estagnado em 2 , ou seja, as pessoas passam muito mais tempo no site do peixe urbano , por uma razao obvia de ser mais interessante para eles.

  3. Quando se fala em Clones ou Cópias, é bom lembrar que esse movimento é comum em qualquer mercado, e novos entrantes podem e devem trazer equilibrio no setor de compras coletivas, evitando assim o monopólio ou um pequeno pequeno cartel.
    Como disse o Mario Nogueira, no Tripé: Site X Consumidores X Comerciantes, uma avaliação deve ser feita pelos comerciantes do retorno do investimento e seu efeito continuado.
    Vejam a exemplo disso uma pequena start up de em São Paulo, que meses antes da chegada do Peixe Urbano e etc., já disponibilizava cupons de descontos por meio de uma ferramenta muito interessante e gratuita, que também aderiu a c. coletivas sem perder o conceito inicial……..talvez uma nova etapa do sistema, mais flexivel e democrática. >>
    sampadescontos.com.br

  4. @Mario
    Minhas opiniões:
    Sobre as perguntas 1 e 2, aparentemente existem casos de anunciantes muito satisfeitos e também casos de negócios que quebraram, então honestamente, não consigo calcular este ROI, mas é algo que dá uma pesquisa legal no Brasil.

    Sobre a questão “clonagem, como eu já disse antes, são negócios rentáveis, com um mercado enorme, mas existe um teto que é quase impossível de ser alcançado pois quem chegou primeiro, sempre domina e vira o trendsetter.
    Mesmo assim, tem que ter muito talento para conseguir operar um negócio deste tamanho e atingir o tamanho que atingiu.
    Eu honestamente gostaria de ter tido a ideia de clonar o Groupon e acho que não teria o talento necessário para conseguir estruturar um negócio tão “intenso” de maneira tão rápida e eficiente.

  5. Realmente o sucesso de compras coletivas é surreal, o group on recusou uma oferta de 6 bilhoes de usd do google.
    Acho que a tendencia é grandes players do e-commerce abrirem frentes em compras coletivas e isso já está começando a acontecer. O grupo hermes (comprafacil.com) recentemente lançou o OfertaX e o APTX Group (Apetrexo.com) lançou semana passada o HotelUrbano.com.br (literalmente uma cópia do groupon mas com foco no ramo hoteleiro).

    O mercado promete!

  6. Tudo bem, Diego?

    Eu não tenho nada contra os clones. Só achei curiosa a mudança de “360º” na posição de alguns dos críticos nos comentários naquele post da Aceleradora que agora saúdam o Peixe Urbano (é só comparar com os comments no artigo no TechCrunch). 😉

    De resto, bom, a SAP fez uma boa grana no final dos anos 90 com o boom do ERP no Brasil. Só que uma hora a farra acabou. Bastou os clientes terem tempo de ver que a solução não era tão milagrosa assim.

    Agora, se isso aconteceu no mercado enterprise, com gestores profissionais, imagino o quanto os pequenos comerciantes que trabalham com os GroupOns ainda estão distantes de perceber que o lifetime customer value de quem vai até eles durante as promoções NUNCA vai chegar nem perto do custo de aquisição correspondente.

    É como diz aquela piada sobre o segredo de como o comerciante que cobrava um preço inferior ao que ele pagava pra adquirir as mercadorias iria recuperar os gastos: “volume!”.

    🙂

    Abraço!

  7. Bem pessoal..

    Estou com o Mario Nogueira Ramos

    Em suas colocações acima.

    Entretanto, tambem quero enfatizar que o groupon como o Peixe Urbano sao excelentes negocios para o cliente sem trazer nenhuma fidelidade a empresa que esta participando.

    É OTIMO negocio para os sites de compra coletiva, BOM negocio para o consumidor e um mal negocio ao comerciante.

    deixo claro que pretendo lançar em breve um site, mais inovador luggom.com

    abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *