Às vezes, o mercado de software como serviço nos impressiona com seu poder. A startup da Estônia Pipedrive, um CRM que promete ajudar vendedores a fechar mais deals, está mostrando alguns números interessantes. O produto também chama a atenção pela simplicidade e eficiência.

A startup recentemente lançou sua versão em português, aproveitando seu crescimento acelerado no mercado tupiniquim. Nos últimos 30 dias, o Brasil foi o país com maior número de inscrições da ferramenta, superando até os novos usuários norte-americanos, segundo o co-fundador, Ragnar Sass. Só em 2012, mais de 500 usuários brasileiros já se cadastraram. No ranking do Alexa, o Pipedrive já é o segundo maior CRM web no país.

A maior parte dos clientes brasileiros são empresas de médio e pequeno porte, com menos de 10 pessoas envolvidas nos setores de vendas, marketing e de recrutamento. De acordo com Ragnar Sass, co-fundador do Pipedrive, “para muitas empresas, os sistemas grandes e velhos de CRM são complicados e de difícil utilização, então eles procuram alternativas que são simples  e fáceis de serem utilizadas. Nossa solução é utilizada principalmente no gerenciamento de vendas, mas também é utilizada nos departamentos de marketing e recrutamento, para o fluxo de negócios. Algumas startups também utilizam o  software como uma solução para o gerenciamento de processos de funding.”

Os principais clientes brasileiros da empresa são startups e empresas de TI. A startup brasileira Deskmetrics, que trabalha com analytics em tempo real foi um dos primeiros clientes da Pipedrive. A Pipedrive também atende a Ventureone, a agência web Aorta, a empresa de gás GLP Gas, a Tecla Internet, e muitas outras.

A Pipedrive abriu a plataforma em Janeiro do ano passado, e começou a cadastrar usuários brasileiros em Junho. Em Outubro a empresa já lançava a versão em português para os brasileiros. O país será um dos principais mercados para a empresa, que planeja atuar com mais agressividade por aqui. Mas para isso, Ragnar pretende entender melhor como a startup poderá oferecer um serviço melhor por aqui:

O mercado e a economia brasileira estão gigantes, e muitas vezes passam despercebidos pelo Vale do Silício e por startups europeias pelas barreiras culturais e do idioma. E o que é mais importante – está crescendo muito rápido, e há poucos meses deixava a Inglaterra para trás. Para as startups brasileiras, esta é uma grande oportunidade, já que elas entendem melhor como resolver os problemas locais. Acredito que as empresas locais devem ser muito ativas na utilização desta vantagem. Se analisar o mercado brasileiro de maneira geral, temos muitos setores que estão esperando pelo mercado.

Confira o vídeo de apresentação da empresa:

As empresas “de fora” levam cada vez mais a sério o mercado brasileiro, que cresce assustadoramente a cada mês. Isso é ótimo para o país, já que grande parte dessas empresas acabam abrindo escritório em território tupiniquim.

Você concorda com Ragnar quando ele afirma que nós brasileiros temos uma vantagem por “conhecer o território”? Você acha que os brasileiros realmente entendem os problemas locais?