Quais são os Pontos Positivos para Começar uma Startup no Brasil?

A jornada do empreendedor que resolve fazer, em vez de sonhar e falar, é bastante árdua. Tudo começa com a decisão de arriscar tudo, trabalhar freneticamente no terceiro turno, dormir pouco, não deixar a peteca cair no seu emprego fixo, e nem ficar desleixado perante um problema em seu projeto. Eventualmente chegará a hora de pedir demissão, alugar um espaço físico pequeno ( talvez até compartilhado com outras startups), e trabalhar para conseguir o tão sonhado financiamento e quem sabe ver a sua startup ser mencionada em listas das startups mais quentes do Brasil. Esta jornada é árdua, com várias desilusões, café, brigas com a patroa, reuniões e até doenças, já que o trabalho em excesso e a falta de cuidado com a saúde cobram caro em alguma parte do processo (Veja também alguns infográficos sobre a realidade das startups).

Mas, por outro lado, trabalhar no que você acredita é MUITO gratificante. Há também muito aprendizado. Você aprenderá a programar, gerenciar, criar, xingar, isso sem falar no aperfeiçoamento do que você já sabe. Outro ponto interessante é a possibilidade de conhecer muitas pessoas interessantes, parceiros, amigos, e quem sabe até uma empreendedora solteira?

Claro que esses pontos todos já conhecem, agora e o lado positivo de montar uma startup aqui no Brasil? Todo mundo reclama, aponta os problemas, mas ninguém fala dos pontos positivos. Vamos analisar algumas vantagens do mercado brasileiro.

Custo baixo para bootstrapping

Como mencionei acima, o terceiro turno é onde as grandes startups são criadas, ou pelo menos os primeiros passos delas. Quando você não possui um modelo definido em atividade, dificilmente conseguirá um financiamento substancial, por isso você se torna o primeiro investidor da sua empresa. Aqui no Brasil é comum esta prática devido a falta de financiamento. Isso é vantajoso, já que o bootstrapping faz muito bem para a empresa. Você trabalhando para você mesmo é muito bom.

Grandes talentos a procura de oportunidades

As faculdades estão cheias de futuros empreendedores e grandes desenvolvedores. Cada vez mais o mercado de startups ganha espaço na mídia e nos interesses dos jovens. São vários estudantes com muita vontade de fazer e aprender.

Várias oportunidades

O mercado de internet brasileiro ainda está em desenvolvimento, e longe de ter o seu potencial totalmente explorado. Todo dia aparece um modelo provado de oportunidade em um mercado ainda virgem por aqui. Viram o investimento recente do Shoes4you? Então..

Muitos early adopters, experts em mídias sociais e evangelizadores

O mercado de midias sociais e mídia online está crescendo rápido. São várias integrações e apps de redes sociais, plataformas de colaboração, e publicidade.

Bolsas e financiamentos governamentais

Bolsas acadêmicas de pesquisa e programas do governo como o Prime (apesar de ausente) existem, procure saber mais sobre o assunto. Existem iniciativas que você nunca ouviu falar que podem ser úteis.

Várias oportunidades para copycats

Não ligue para os empreendedores, desenvolvedores, VCs ou blogueiros que insistem em dizer que uma startup que se baseia em um modelo de negócios de sucesso não é louvável. Temos vários cases de sucesso de “clones” que prosperaram no mercado brasileiro. Não importa se sua startup é um clone ou não, o que importa é a maneira que você trabalha com seu conceito. Veja o Peixe Urbano como exemplo, foi o primeiro clone de compras coletiva, e já é uma startup referência.

E para você, quais são as vantagens de montar uma startup no Brasil?

0 responses to “Quais são os Pontos Positivos para Começar uma Startup no Brasil?

  1. O post tem uma falha: 99% dos empreendedores querem ser o próximo zuckerberg, e discutem idéias miraboltantes esperando que irão mudar o hábito de milhões de internautas. 99,99999% dos casos, não vão a lugar nenhum simplesmente porque se esquecem de verificar a parte mais importante do processo: se a idéia é boa realmente. E não é o pai ou a mãe da pessoa que vai falar, é claro que eles irão achar tudo lindo. Quem vai dizer, é o consumidor.

    A grande maioria discute uma grande idéia por dias, acha alguém para programar por meses, e depois descobrem que o cliente não gostou tanto assim. Perdeu tempo e dinheiro.

    O primeiro passo deveria ser ver se a idéia é boa mesmo, se o cliente vai compra-la, se o cara não vai desperidiçar os famosos 3 meses e 200 mil reais para montar algo que ninguém quer, a não ser ele, o sócio, o pai, a mãe e 6 dúzia de melhores amigos.

  2. Ah, e tem mais: também não acho que o empreendedor precisa sair desesperado atrás de dinheiro. Se usar a criatividade, existes milhões de caminhos diferente de usar dinheiro vivo mesmo… parcerias, exclusividades, financiamento com algum stakeholder de valor, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *