Entrevista: Gustavo Scanferla, Fundador e CEO do Pligus

A Startup Pligus oferece um serviço gratuito de comunicação e colaboração em tempo real que roda no navegador. Todos os usuários podem facilmente editar juntos imagens, desenhos, textos e mapas e  o usuário pode inclusive compartilhar sua tela. Tudo isso enquanto se comunicam por webcams, microfones e mensagens instantâneas. A startup ficou em quarto lugar no Desafio Brasil deste ano e optamos por convidar Gustavo Scanferla, seu fundador para uma entrevista no @rwwbr.

RWW: Colaboração é um mercado super competitivo e interessante hoje. Como vocês se vêem disputando com players como Cisco, MS e outros neste mercado?

Estes players têm um poder de fogo e uma base de usuários enorme. Nós ainda não entramos oficialmente na disputa, estamos em Beta e devemos lançar nossos planos pagos em Novembro deste ano.

O principal diferencial do pligus nessa disputa é o nosso foco em comunicação E colaboração. Os outros players geralmente focam em apenas comunicação, e acabam resolvendo apenas “metade” dos problemas dos usuários.

Além disso, acreditamos que o nosso serviço se adeque mais às necessidades reais das pessoas. Tudo isso, através de um uso mais fácil e agradável.

E mesmo que os players que você citou sejam grandes, já batemos de frente em qualidade – ainda que com muito menos recursos financeiros e humanos. Digo isso por que já recebemos diversos feedbacks espontâneos dos nossos usuários falando que o pligus é bem melhor do que X ou Y, e que passarão a utilizar os nossos serviços daqui pra frente.

A disputa será boa, e trabalharemos duro para sermos bem sucedidos nela.

RWW: Como vocês vêem a morte do Google Wave? é um sinal de que o mercado ainda não está pronto ou uma nova oportunidade?

O Wave é um player que focava apenas em colaboração, já que sequer tinha áudio ou videoconferência integrada no serviço – o que é essencial.

Na verdade, está mais para um sinal de que o Google não fez o Wave de um jeito que resolvesse os problemas das pessoas.

Ele era (ainda é) complexo demais de utilizar, o Google mesmo sabe disso – tanto que criaram dezenas de tutoriais e explicações.

A “morte” do Wave comprova, de certa forma, que estamos no caminho certo e cada vez mais “vivos” – e ainda há muito, mas muito mesmo, o que melhorar no Pligus.

Acreditamos que o mercado esteja pronto, já que os outros players citados acima estão tendo bastante sucesso, com muitos clientes e recebendo grandes investimentos. Iremos ver este tipo de serviço fazendo cada vez mais parte do cotidiano das pessoas, com o passar do tempo. O mercado ainda está longe de atingir o seu auge.

RWW: Em tempos de mobilidade e funcionalidade cross device, não é um pouco arriscado adotar FLEX como a tecnologia padrão da empresa?

Na verdade é uma ótima escolha, já que essa tecnologia permite que o pligus rode no navegador, desktop (instalado) e Android, com quase nenhuma modificação no código fonte. Além disso, é facilmente convertido para rodar no iPhone/iPad.

O Flash é uma tecnologia poderosíssima. Somente com ela é possível fazer algumas coisas que o Pligus faz, no navegador.

RWW: Qual é o modelo de negócios planejado para o produto?

As fontes de receita do pligus vem das versões pagas do nosso serviço. O usuário terá recursos ilimitados, mais participantes simultâneos, suporte prioritário e personalização com sua logomarca e as cores da empresa do cliente.

A receita virá também através de parceiros que irão vender o Pligus como parte do pacote de soluções deles. E também do fornecimento da tecnologia Pligus (tempo real, áudio/vídeo, etc) para aplicativos de terceiros.

RWW: Como se posicionar no mercado, focar em nichos de mercado locais, ou em ser uma alternativa popular aos grandes players em um mercado global?

O Pligus estará sempre disponível e otimizado para qualquer um interessado em usar. Porém, como estratégia de marketing, pretendemos nos posicionar em nichos específicos do mercado brasileiro, fornecendo níveis de atendimento e planos superiores – inicialmente na região sudeste. Enquanto isso, trabalhamos para ser uma alternativa popular no mercado global – hoje, mais de 100 países utilizam o pligus diariamente.

RWW: Obrigado pela entrevista, mande sempre as novidades para nós!

E você, possui uma startup e acha que ela pode chamar nossa atenção? Entre em contato conosco, mande uma breve apresentação do seu negócio e nos convença a falar dela aqui no @rwwbr!

0 responses to “Entrevista: Gustavo Scanferla, Fundador e CEO do Pligus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *