Sem Bla Bla Bla. Como Identificar um Empreendedor?

Inspirado pelo último episódio do Empreendecast, percebi que já faz algum tempo que convivo com empreendedores dos mais diversos tipos e aqui mesmo no time do @rwwbr temos muitos membros com este perfil. Gostamos de empreender, de cobrir novas startups/projetos e estamos sempre buscando traçar um perfil de como seria este ser mítico, o empreendedor.

Eu poderia escrever um texto óbvio, listando as características obrigatórias deste sujeito, falando de garra, perseverança, superação e foco. Mas como já cansei de ler textos assim e acredito que muitos de vocês também, optei por fazer algo diferente. Vou listar aqui as características que percebo em meus amigos que optaram por uma carreira um pouco mais arriscada que um concurso público ou um emprego em multinacional.

Esta é uma lista pessoal, e 100% questionável, portanto caso queiram discordar, fiquem a vontade. O importante é que se você tiver algo a acrescentar, deixe seu comentário, protesto, ou o que quer que seja e posteriormente fazemos uma revisão disso aqui.

Então Vamos lá, chega de enrolação.

O que Estes Caras tem em Comum?

Teceiro turno – Sim, esse cara não é do tipo que trabalha 8 horas por dia e vai para casa para passar alguns momentos com seu videogame e sua TV. É um cara que vira noites “brincando” com seu código, discutindo conceitos e tendências da sua área de atuação, ou respondendo emails de clientes. Quando é o caso de caras que já tem um emprego, geralmente eles tem o chamado terceiro turno, que começa as 20:00 e acaba as 2:00 da madruga.

Improviso – Todo bom empreendedor é um bom improvisador. Ele sabe lidar com as limitações que surgem o tempo todo e sem recursos, tempo, e pessoal, ele acaba desenvolvendo cada vez mais sua capacidade de improvisação. Várias vezes já vi gente segurando as pontas na infraestrutura com procedimentos de qualidade duvidosa (vulgo gambiarra), vendendo produtos e serviços ainda não desenvolvidos, fazendo demonstrações controladas para conseguir fechar contratos. Tudo isso, apesar de parecer errado, é uma parte do processo e é uma enorme fonte de aprendizado. Não há nada errado em improvisar. Só tem que ter um pouco (pouco mesmo) de cuidado para não errar a mão. Melhor falhar e ter tentado algo ousado do que fazer perfeitamente como o planejado e não atender ninguém.

Teimosia – Empreendedor é cabeça dura. É difícil discutir com eles, afinal eles tiveram sua epifania e sabem do que estão falando. Em muitos casos essa é a grande causa de sucesso ou fracasso de uma startup. Mas uma coisa é certa, não existe empreendedor “banana”, querendo ouvir e agradar a todos. Ser empreendedor é desafiar o status quo, e isso nada mais é que pura e simples teimosia.

Problema ou diversão? – Para quem está começando um negócio e realmente tem jeito para a coisa, essa vai ser uma grande fonte de dúvidas. Afinal não é de resolver problemas que surgem as novas grandes empresas? O empreendedor de verdade não diferencia problemas de diversão. Ele adora os dois. E não sabe responder se quando o cliente quer o feature X ou o servidor cai se ele está se divertindo com o novo desafio ou apenas resolvendo um problema.

Repertório – Esse não é exatamente o atributo obrigatório, mas é um grande responsável pelo sucesso de startups. Um empreendedor tem que ser versado no seu mercado e nos mercados adjacentes a ele. Tem que saber todos os movimentos, de todos os players e dissecar a estratégia dos concorrentes. Um bom fundador tem que saber de finanças, gestão de produtos, usabilidade, marketing, vendas e culinária (ou ao menos ter o telefone do telepizza/burguer/whatever).

É o processo, não o fim – O empreendedor gosta do processo, de fazer, operar, melhorar, vender. O negócio dele não é a grana instantânea, ou uma venda milionária em 5 anos. O empreendedor gosta do caminho, mais do que da chegada.

Namoradas nervosas – Elas aguentam um cara com uma rotina de viradas de noites e que dá mais atenção a empresa que aos amigos e família. Então já era de se esperar que elas fossem mais nervosas que a média.

E vocês, quais as características dos empreendedores que conhecem? Falei alguma bobagem? Não deixem de comentar.

0 responses to “Sem Bla Bla Bla. Como Identificar um Empreendedor?

  1. gostei mutcho do post, to lendo um livro que é bibliografia obrigatória para empreendedores, e é pequeno e rápido de ler – NOS BASTIDORES DA PIXAR: LIÇÕES DO PLAYGROUND CORPORATIVO

  2. A imagem do post diz tudo. 😉 Ficou muito bom o texto Diego.

    Uma definição muito interessante que eu vi esses dias foi a do Sean Ellis: “Good entrepreneurs figure stuff out”.

    Acredito muito nisso também. Bons empreendedores “descobrem” o que têm que priorizar, como adaptar o produto para encontrar mercado, como trazer talentos para dentro da empresa sem dinheiro, como sobreviver com a “água batendo na bunda” no caixa, como encontrar canais de aquisição de clientes, como resolver as buchas técnicas, enfim, toda a série de desafios que vão aparecer na frente e para o qual não há fórmulas prontas.

    Abs!

  3. Ficou ótimo o texto Diego, e penso que realmente esses são pontos essenciais para identificar um empreendedor.
    Gostaria de adicionar mais uma característica, a percepção de novos rumos do mercado, pois um empreendedor não pode e nem deve se engessar em uma visão, mesmo que a defenda com unhas e dentes.

    Um grande abraço…

      1. Realmente. Eu detesto a pergunta “Pq vc não participa do concurso X?”. Geralmente tento explicar que a vida de funcionário público não serve pra mim, mas sempre voltam a perguntar.

  4. Excelente Diego!

    Adicionaria algo a mais na lista: Crença.

    Empreendedores têm muito bem definido as coisas em que acreditam e as que não levam fé. Estas crenças podem estar relacionadas a vários aspectos como metodologias, estratégias, tecnologias, atitudes, etc. Eles defendem estas crenças com unhas e dentes e provavelmente daí surge a percepção de “Teimosia” que o Diego citou.

    Quanto ao “gostar do processo” isso é fato. Empreendedores (talvez com exceção dos empreendedores por necessidade) são apaixonados pelo que fazem, mas nem por isso eles deixam de mirar no resultado. Não existe “deixa a vida me levar” para empreendedores, eles sabem onde querem chegar.

  5. Adiciona um Case aí, qual Empreendedor que você conhece que visitou 6 dos TOP 10 do Setor, sendo ainda uma StartUp e ainda ouviu de algumas que a versão Beta do Sistema seria um “Sonho de Consumo”?

    Algumas estão na Revista das mais INOVADORAS!

  6. Diego, parabéns mesmo. Ainda bem que extistem os empregados também, pois é com eles que o nosso negócio vai para frente.
    A máxima que tenho é o seguinte: Alguns nasceram para empreender, outros para ser empregados e outros a serem funcionários públicos.
    O empreendedor é Visionário – Quando surge uma idéia ele põe em prática, diferente dos demais, que podem ter até uma bela idéia porem nunca excutam e quando alguém o faz ele começa a dizer. “Roubaram a minha idéia”
    O Brasileiro é um dos povos mais empreededores, porem muitas vezes nos falta um bom planejamento, para que possamos diminuir nossos riscos.

    Há um treinamento do SEBRAE muito útil que é o EMPRETEC, indico a todos que façam,

    1. Também acredito que seja de acordo com o perfil da pessoa. Uns nasceram para ter uma vida mais “tranquila” e, embora tendo um emprego muitas vezes chato, acham melhor do que ficar sem saber se no final do mês terá dinheiro ou não. Enquanto outros já tem o perfil oposto, querem se arriscar por acreditarem em suas idéias e serem ambiciosos.

      Sempre me falam: Passe em algum concurso para garantir o “certo” no final do mês e no tempo livre você tenta alguma coisa extra. Isso só faz com que a dedicação/atenção seja dividida entre a empresa e o emprego -> dificultando o sucesso.

      Também recomendo o EMPRETEC!

  7. rs. nem considero como terceiro turno, de certo modo a gente respira ‘trabalho'(diversão), do momento que acorda ao momento que vai durmi, as até em sonho ele aparece!

  8. Muito bem dito, principalmente a parte das “Namoradas nervosas” 😀

    Só não concordo com esta parte aqui “…vai para casa para passar alguns momentos com seu videogame e sua TV..”

    Como sou empreendedor da área de entretenimento, mais necessariamente em desenvolvimento de jogos para console, celular e PC… eu diria que quase impossível eu não ir p/ cara e não passar alguns momento com o meu videogame, o problema disto, é que não me divirto tanto com os jogos, pois fico procurando problema neles 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *