Serviço de Troca de Cupons é Lançado no Brasil

Se você tem acompanhado o ReadWriteWeb Brasil sabe que estamos sempre divulgando tudo o que acontece no nosso novo (e gigantemercado de compras coletivas, um espaço cheio de inovação e nenhuma cópia de modelos internacionais. E claro, com o crescimento dos serviços “clones” do Groupon, outros nichos vão se formando, neste surgem oportunidades interessantes, como o caso dos serviços de trocas de cupons dos diversos players.

O trocacupom surgiu para auxiliar os consumidores de sites de compra coletiva a trocar cupons de desconto. Mais que economizar “comprando desconto” o site  evita que o consumidor perca seus cupons, podendo trocar ou vender para outros usuários. O modelo é bem similar ao do site CoupRecoup, que surgiu recentemente nos EUA. Todos podem aproveitar diversos descontos e ainda interagir com pessoas que compram nestes sites trocando experiências de compra, avaliando sites e criando uma verdadeira rede de amantes da compra coletiva.

Os consumidores de todos os sites têm acesso livre ao trocacupom, portanto se você compra no Peixe Urbano, ClickOn, Clube Urbano ou qualquer site de compra coletiva pode usar o serviço e colocar seu cupom para troca ou venda. Diariamente novos cupons de desconto são disponibilizados pelos usuários que querem trocar, e um e-mail é enviado para os usuários avisando os sobre os descontos disponíveis.

Agora nos resta esperar para ver qual será o próximo nicho que os clones do mercado de compras coletivas atacarão. Alguém aí já imaginou um AppSumo Brasileiro? Aposto que logo logo aparece!

12 responses to “Serviço de Troca de Cupons é Lançado no Brasil

  1. “um espaço cheio de inovação e nenhuma cópia de modelos internacionais”

    Concordo com sua crítica Diogo. O mais engraçado é que nenhum desses players (principalmente os mais significativos) parecem possuir a intenção de inovar ou criar algum elemento de diferenciação. Nem o layout chega a ser diferente.

    Trabalho nesse segmento e já percebo alguns sintomas:

    Além do consumo em clubes de compra, parece que há uma febre de ABERTURA de clubes de compra. É como a moda de abrir lan-houses ou lojas de 1,99. Teve seu ponto alto, mas ambas passaram.

    Com a abertura de inúmeros concorrentes, as margens do segmento – percentual de comissão por venda realizada – começam a cair e/ou a atratividade das ofertas caem (com a concorrência na oferta do serviço, os estabelecimentos estão dispostos a fazer uma oferta cada vez menos atrativa para os consumidores).

    Salvo o Peixe Urbano ou outros players que possuem fila de espera de ofertas (devido ao grande investimento em propagando ou mídia espontânea que recebem) e podem realizar melhores negociações para viabilizar uma boa oferta a seus usuários. Entretanto, com a entrada de players mais profissionais creio que esse oceano fique cada vez mais vermelho: Banamarama, Jacaré Voador (do fundador do restaurant week), o clube de compra recém-inaugurado do grupo RBS e muitos outros que devem chegar.

    Outro problema estrutural – e muitos que trabalham no segmento fazem vista grossa – é a alta sensibilidade a preço do usuário da oferta do dia. Quando o e-mail chega de manhã, o consumidor escolhe comprar A OFERTA e não o estabelecimento. É explorada a compra por impulso. O usuário usa a oferta, mas há grandes chances de que não torne-se um cliente fiel do estabelecimento parceiro. Primeiro por não possuir perfil de consumo (sócio-econômico, geográfico, costumes) ou por haver outras ofertas para ele consumir (para que irei retornar e pagar o preço tabela cheia se tenho outros 10 cupons de lugares diferentes que irão expirar em breve). Quer ver uma fumaça de que isso está acontecendo? http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?id=1065205

    Ninguém está preocupado ainda em inovar pois o mercado está crescendo muito – tanto em volume de usuários como de anunciantes.

    Conversei pessoalmente com o Júlio (Peixe Urbano) metade do ano passado, o portal dele nem estava funcionando ainda, e disse muito do que falo aqui hj.

    Eu aposto minhas fichas num segundo patamar de competição que deve ocorrer a partir do segundo semestre de 2011 ou início de 2012. Com o mercado estagnando as empresas precisarão inovar para aumentar sua participação de mercado.

    Trabalhamos hoje no acessozero para esse cenário mais consolidado. Por enquanto não expandimos, nem investimos significativamente em mídia nem abrimos as portas para a imprensa. Justamente para não queimar cartucho ou ser classificado como mais um clube de compra (nem queremos ser isso).

  2. Concordo com o Alessio.. Bela análise do mercado.. Só vou deixar uma dica, aqui, para entrarem no Esfera Urbana (esferaurbana.com.br), site de compras coletivas que virá com novidades.

  3. O Alessio disse coisas que poucos tem coragem de dizer, mas descordo de um ponto: “os estabelecimentos estão dispostos a fazer uma oferta cada vez menos atrativa para os consumidores”. Acho que acontecerá exatamente o contrário: Com tantas ofertas será necessário fazer um desconto ainda MAIS atrativo, caso contrário ninguém se interessará.
    O problema é que a noção de fidelização é vaga, em um salão de beleza ou afins a funcionária (que pode mudar a qualquer momento) fideliza muito mais do que o salão ou a localização (já que as opções são muitas). Em um restaurante a fidelização beira zero, já que todos queremos variar o cardápio e as opções (principalmente em SP) são cada dia mais variadas.
    NÃO ACREDITO NA POSSIBILIDADE DE FIDELIZAR CLIENTES NESTES RAMOS, QUE SÃO OS PRINCIPAIS PARA OS SITES DE COMPRAS COLETIVAS. A saída para a sobrevivência destes sites terá de ser outra que não a fidelização, talvez a exposição da marca, que eu nem sei até que ponto é tão importante assim.

  4. Ótimos pontos pessoal. Realmente, com toda essa capilarização do mercado, a tendência (no longo prazo) é que os players cada vez mais canibalizem nas margens e sigam uma disputa meramente por preço. É esperar para ver!

  5. Discussão interessante! Eu já comprei vários cupons de lugares que eu já conhecia e também desconhecidos. Acredito sim na possibilidade de fidelização no caso de restaurantes. Mesmo tendo muitas opções sempre existem aqueles lugares que voltamos com mais frequência. E a primeira visita pode ser através de um cupom de compra coletiva.

    Uma situação que eu acredito que irá acontecer mais pra frente é que os principais sites do mercado irão se tornar selos de qualidade. Vão ter filas de espera e terão que selecionar somente os melhores estabelecimentos, afirmando sua qualidade. E o restaurante poderá usar isso a seu favor. Acham que isso é possível de acontecer?

  6. A fidelização dos clientes depende do atendimento do estabelecimento.
    diferente dos investimentos em publicidade em jornais , revistas , tvs , etc , os sites de compra coletiva dão oportunidades para as empresas divulgarem sua marca e o mais importante trazem o cliente até o seu estabelecimento para conhecer de perto todos os seus serviços.
    Portanto como em qualquer meio de publicidade a fidelização do cliente depende diretamente da qualidade dos serviços da empresa .
    Não adianta anunciar no horario nobre da Rede Globo se não tenho condição de atender satisfatóriamente meus clientes , o mesmo é valido para as compras coletivas.

  7. Eu tenho trabalhado com sites de compra coletiva, então tenho visto as ofertas de todos os sites da minha cidade diariamente e tenho notado uma certa decadência na qualidade dos produtos, mas acredito na fidelização sim, se você compra uma massagem e nunca fez na vida, gosta, então voltará!
    Esse esferaurbana ai que virá cheio de novidades já vem com nome manjado e layout (e aposto que script) manjados tb :/

  8. O trocaoferta surgiu para auxiliar os consumidores de sites de compra coletiva a trocar cupons de desconto. Mais que economizar “comprando desconto” o site evita que o consumidor perca seus cupons, podendo trocar ou vender para outros usuários. O modelo é bem similar ao do site CoupRecoup, que surgiu recentemente nos EUA. Todos podem aproveitar diversos descontos e ainda interagir com pessoas que compram nestes sites trocando experiências de compra, avaliando sites e criando uma verdadeira rede de amantes da compra coletiva.

    Os consumidores de todos os sites têm acesso livre ao trocaoferta, portanto se você compra no Peixe Urbano, ClickOn, Clube Urbano ou qualquer site de compra coletiva pode usar o serviço e colocar seu cupom para troca ou venda. Diariamente novos cupons de desconto são disponibilizados pelos usuários que querem trocar, e um e-mail é enviado para os usuários avisando os sobre os descontos disponíveis.

  9. Voltando ao tema da postagem gostaria de perguntar aos amigos que trabalham com sites de com´pras coletuvas como um site de troca ou venda de cupons já adquiridos poderá grantir a seus usuários que os cupons oferecidos são válidos? Acabo de colocar a venda um cupom que adquiri no peixeurbano em um novo site de troca de cupons, o http://www.trocadesconto.com.br mas não sei como confiar nos outros cupons colocados a venda…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *