E algumas dicas para você conseguir tirar o seu da gaveta!

Eu sempre gostei de começar coisas novas. No dia a dia, sou co-fundador e CMO da Rock Content, mas sempre tive uma inquietude e uma grande paixão por novos objetos brilhantes, afinal, sou um idea guy, mas tento também colocar as coisas em ação. Nos últimos anos comecei, lancei, deixei de lançar, aposentei, tive algum sucesso e me diverti com dezenas de projetos paralelos.

Apesar de muita gente achar que ter projetos paralelos é uma distração e que impacta sua performance no dia a dia, eu discordo. Para mim, projetos paralelos são uma maneira de me motivar, encarar o stress e aprender coisas novas. E isso é algo amplamente aceito e valorizado na nossa empresa. Tanto que até usamos uma pergunta sobre projetos paralelos nas entrevistas de novos candidatos.

Além disso o projeto paralelo é uma válvula de escape, que me ajuda a manter a sanidade quando as coisas estão tensas. Eles me ajudam a crescer minha gama de experiências, conhecer gente nova e sair da rotina. No meu caso, a maioria dos meus projetos paralelos envolve software ou conteúdo, mas isso é uma mera questão de preferência pessoal. Meus sócios já codaram diversos aplicativos, lançaram cursos online e até fizeram seu próprio fliperama.

Conheço muitas pessoas com projetos paralelos interessantíssimos como escrever um livro, correr uma maratona ou aprender um novo idioma.

Neste post vou compartilhar com algumas coisas que aprendi em dezenas de projetos paralelos ao longo dos últimos 5 anos da minha vida. Alguns destes projetos foram bem sucedidos e outros simplesmente falharam miseravelmente. O importante é que em cada um deles eu aprendi algo novo, único e valioso.

Welcome to my life

Minha rotina no trabalho é corrida e as pessoas me descrevem como um cara acelerado e produtivo. Sou obcecado com GTD (Getting Things Done), Inbox Zero e tento ter uma rotina ágil, nunca sendo um gargalo para o meu time. Além do trabalho, dedico sempre tempo de qualidade para ficar com minha esposa, meus amigos e me exercitar (menos do que deveria, no entanto). Sou um cara normal e apesar de trabalhar muito, equilibro relativamente bem minha vida pessoal, trabalho e sempre tenho tempo para as pessoas que gosto. Durante toda minha vida tive projetos paralelos diversos e hoje vou contar um pouco sobre alguns deles. Vamos nessa?

Derrotas:

Shopstream: Analytics em Tempo Real Para Ecommerces

Era 2013 e o Shopify começou a ficar realmente rande. Eu venho da indústria de mídia então ficava vidrado no que o Chartbeat estava fazendo para as grandes publicações digitais. Analytics em real time? Uau! E se eu fizesse isso para o mercado de ecommerce? Será que tem pega? Comecei a desenvolver o Shopstream nos finais de semana, lancei o app na loja do Shopify, mas eu sabia muito pouco sobre o mercado. Eu não sabia qual era a dor do cliente. Desenvolvia diversas funcionalidades mas não fazia marketing para divulgá-las. Fiz um produto grande, complexo e que apenas eu achava muito legal. Ninguém quis pagar por ele. Depois de 6 meses de projeto, eu descontinuei.

Resultados:

O projeto simplesmente não foi bem divulgado e não era útil o suficiente para alguém pagar por ele. Acabei me desmotivando. Anunciei no Sideprojectors.com (https://www.sideprojectors.com/) e acabei vendendo o código fonte por 3 mil dólares. Considero ele um fracasso pois investi muito mais tempo nesse projeto do que isso, mas pelo menos consegui recuperar meus custos e sair sem maiores prejuízos.

Lições aprendidas:

Peça ajuda! Neste projeto conheci um freelancer e trabalhamos juntos por alguns meses. Ele me cobrava por hora e era extremamente comprometido e responsivo. Posteriormente, esse mesmo cara nos ajudou quando estavamos fazendo o MVP da plataforma da Rock Content.

BounceGo: Pop Ups de Saída Para Geração de Leads

Era 2014 e a Rock Content começava a ir bem. Nossos clientes geravam tráfego, mas tinham dificuldade de converter estes visitantes em leads. Comecei a programar o BounceGo com a ideia de ter uma ferramenta gratuita que ajudasse as pessoas a gerar leads com facilidade através de formulários com detecção de saída. Depois de algumas iterações e com o software funcionando, começaram a aparecer alternativas muito mais legais, produtos melhores e minha velocidade simplesmente não permitia que eu acompanhasse o crescimento do Sumo.me o do OptinMonster. Mais uma vez, com menos de 6 meses, descontinuei.

Resultados:

Nenhum. Apenas perdi tempo e dinheiro. Anunciei o projeto no SideProjectors novamente e ele está lá encalhado até hoje.

Lições Aprendidas:

Se você realmente quer ter um projeto de longa duração, não pode amarelar quando a concorrência aparece. O BounceGo poderia ter sido algo legal e ajudado muitas pessoas a gerar mais leads, mas faltou persistência.

Vitórias Parciais:

Terceiro Turno: Videocast sobre empreendedorismo

Eu me amarro em videocasts. Tentei fazer um chamado Terceiro Turno onde falava sobre startups e empreededorismo. Me juntei a 2 amigos e lançamos um canal no Youtube, onde todo mês subíamos um programa. O formato era simples: amigos, cervejas, um sofá e conversas sobre o mundo de empreendedorismo. Conseguimos uma produtora (valeu Zubb) para apoiar o show. Gravamos 2 temporadas e os feedbacks foram fantásticos. As pessoas gostavam daquilo. Infelizmente, por motivos fora do meu controle tive que descontinuar o programa e o canal.

Resultados:

Chegamos a ter dezenas de milhares de visualizações no Youtube e o público era super engajado. Infelizmente tivemos que descontinuar, mas quero ter algum outro projeto similar no futuro.

Lições Aprendidas:

Perdi o medo das câmeras, aprendi um bocado sobre como conquistar audiência. Me diverti pra caramba e tomei muitas cervejas com a desculpa de “gravar um programa”.

Vitórias:

Dealbook.co: Um Crunchbase Brasileiro

Em 2008, criei uma planilha que catalogava todos os investimentos em startup no mercado brasileiro. Anos depois, nosso investidor Luciano Tavares me convidou para criar um aplicativo open source onde empreendores, venture capitalists e jornalistas pudessem manter um banco de dados crowdsourced de investimentos, fusões e aquisições de empresas de internet no Brasil. O Lu fez todo o trabalho duro, afinal, eu não tenho nem metade do talento dele.

Resultados:

O resultado foi muito legal e é um projeto paralelo extremamente bem sucedido na minha opinião. O site continua no ar e sempre recebe atualizações de voluntários. A aplicação é open source, o que permite que qualquer um colabore no desenvolvimento também. Se você é desenvolvedor, visite também o repositório no Github e fique a vontade para enviar pull requests.

Lições Aprendidas:

Trabalhe com pessoas que você gosta e mantenha a simplicidade. O Lu fez todo o heavy lifting do aplicativo e eu me concentrei na coleta de dados e bootstraping do conteúdo. O resultado é algo que realmente ajuda as pessoas de forma simples e prática.

Brazil Startup Report: O panorama das Startups Brasileiras

Em 2014, juntei me aos amigos Bowei Gai e Drew Beaurline para criarmos um relatório que compartilhava um pouco do que aprendemos sobre o mercado brasileiro de startups e venture capital. Depois de muita pesquisa, parimos um relatório de 49 páginas que sumariza bem o estado do empreendedorismo no Brasil naquela época. Viramos muitas noites e entrevistamos dezenas de pessoas que nos ajudaram a criar um conteúdo de alta qualidade.

Resultados:

Ampla cobertura na midia nacional e internacional, mais de 80k visualizações no Slideshare.

Lições Aprendidas:

Produzir conhecimento sem nenhum objetivo de monetização é extremamente gratificante! É muito legal fazer parte de um projeto voluntário, ainda mais quando existe um grande comprometimento da equipe.

Gerador de Personas — Um app para que as pessoas documentem as personas da sua estratégia de conteúdo

O problema era óbvio. Todos os dias nossos clientes criavam personas para seus blogs em templates do Word e Excel. Precisava haver um jeito mais fácil. Liguei para os amigos da Resultados Digitais e os convidei para fazer um app simples que resolvesse exatamente este problema. Também chamei um colaborador da Rock Content para nos ajudar como um freela.

Resultados:

Hoje o gerador de personas é usado por aproximadamente 10mil pessoas por mês. Ele nos gera mais de 1000 leads únicas e altamente qualificadas todos os meses. Estamos nos preparando para lançar a versão 2.0.

Lições Aprendidas:

Pequenas ferramentas que geram valor para as pessoas no dia a dia sempre vão ser bem recebidas. Além disso, colaborar com os parceiros certos traz grandes resultados. Deixo aqui meu agradecimento aos amigos da Resultados Digitais.

O Desconhecido/Incerto: 12Minutos

@12minapp

Sempre fui muito nerd e gosto muito de ler business books. No início de 2014 comentei com minha então namorada (hoje esposa) e o meu cunhado que sentia falta de um site de resenhas, algo similar ao GetAbstract no Brasil. No dia 8 de agosto de 2014, fiz o primeiro commit. E mantive o projeto stealth por um bom tempo. Neste intervalo, todos os livros que eu lia e gostava, eu sumarizava, afim de “estocar conteúdo” para um lançamento. Minha esposa fez o mesmo. Os meninos do Hotmart me ajudaram muito na concepção, desenvolvimento e design do app. No dia 31 de Agosto de 2016, (isso mesmo, mais de 2 anos depois) colocamos no ar num soft launch o 12min.com.br, um site para que as pessoas aprendam os conceitos chaves de livros de negócios e desenvolvimento pessoal em menos de 12 minutos. Clique aqui para conhecer!

Resultados:

Os resultados tem sido melhores do que eu esperava. Em poucos meses, com alguns cupons de Google Adwords, a ajuda de amigos e alguns blog posts, já temos mais de 10mil leituras de microbooks e 15mil instalações do app. Confira aqui a versão Apple e aqui a versão Android. Se curtir, deixa um review lá, vai? Todos os dias tem conteúdos free no app, não tem como não gostar!

Lições aprendidas:

Começar pequeno é essencial. No início eu acreditava que só podia colocar o site no ar se tivesse centenas de microbooks, um app mobile, entre outras coisas. Hoje o aplicativo ainda é extremamente simples, mas estamos evoluindo rápido com o feedback dos usuários. Por isso, convido você a conhecer o 12’ e me mandar suas impressões! Ah, e não deixe de solicitar títulos novos para o catálogo!

Como Lançar Seu Side Project:

Aqui vão algumas lições aprendidas ao longo dos últimos anos sobre como tocar projetos paralelos:

  • Assista menos televisão. Separe um pouco do tempo que você gastava vendo TV e Netflix para hackear coisas e você conseguirá (ainda que lentamente) lançar algo que gera valor para as pessoas;
  • Saiba pedir ajuda: Eu precisei de ajuda em design, conteúdo e programação no 12Minutos. Mateus e JP, obrigado pela parceria. Patroa, obrigado pelas incansáveis horas revisando conteúdos e escrevendo. Rafa, obrigado pela ajuda na reta final do lançamento do 12′;
  • Use freelancers para ganhar velocidade: Encontrar freelas para ajudar com coisas que você não tem tempo pode ajudar bastante a acelerar as coisas. Use plataformas como Upwork, WeDoLogos, Rock Content para escalar sua capacidade individual.
  • Comece devagar: Sim, um projeto paralelo não recebe a mesma energia que seu “main job”. Você precisa aceitar isso e ir entregando aos poucos. Tenha disciplina e persista, não desista cedo;
  • Stand on the shoulders of giants: Uma das coisas que mais me ajudou no desenvolvimento dos meus side projects foi aprender com caras que já fizeram coisas grandes e que eu admiro. Sempre busco ler recomendações de conteúdos e livros que os caras que admiro postam. Me ajuda a entrar no cérebro deles. Os meus conteúdos favoritos, é claro, estão no 12Minutos.
  • Comprometa-se: Crie rotinas onde você tem tempo na agenda para trabalhar no seu projeto paralelo. Eu dedico uma boa parte das minhas noites e finais de semana, com horário marcado na agenda para hackear um pouquinho;

Um projeto paralelo não é sobre sua velocidade de entregar. É sobre seu comprometimento. Esqueça alta velocidade e escala e faça um pouco a cada dia. Acelere apenas quando achar que deve.

E aí, pronto para começar um projeto paralelo? Tem dúvidas? Não deixe de comentar e se puder, compartilhe este texto. Responderei todas nos comentários.


Se você curtiu este artigo, me ajude a espalhá-lo clicando no ❤ abaixo. Compartilhe no Facebook, Twitter e Linkedin. E se quiser acompanhar minhas postagens, não deixe de assinar minha newsletter e seguir nossa publicação aqui no Medium.