Simon Olson, um dos gestores da FIR Capital, fez uma apresentação sobre o venture capital no Brasil na Stanford University’s Graduate School of Business no dia 11 de Novembro. A apresentação, feita em inglês, fala um pouco sobre o cenário do mercado brasileiro de startups, cita alguns cases e fala das perspectivas do venture capital por aqui.

Resumindo, Simon Olson diz que um dos pontos principais do mercado brasileiro é a riqueza de capital humano. Ele também afirma que, se você abrir um negócio no Brasil e fazer as coisas da maneira correta, há uma boa chance de conseguir o capital, mas não é tão fácil quanto parece.

Simon disse ainda que todos sabemos que uma startup inicialmente não possui tanto dinheiro, por isso ela tenta atrair profissionais competentes oferecendo participação na empresa, mas geralmente os profissionais não aceitam essa participação, muitas vezes por receio por não termos muitos cases divulgados deste tipo de prática. Mas fazer com que eles (os profissionais) se sintam como parte ativa da empresa pode ajudar nas contratações.

Ele também diz que a diferença do venture capital no EUA e do venture capital no Brasil de outros lugares é que lá existem especializações, mais foco, e no Brasil é diferente, não temos o mesmo deal flow, o que torna nossos venture capitalists, mais generalistas.

Finalmente, é muito importante entender que muitas pessoas ligam o venture capital a alta tecnologia, mas nos mercados emergentes esse nem sempre é o caso. Historicamente temos um crescimento exponencial de VC proveniente das altas tecnologias, mas nos mercados emergentes nem sempre é necessária alta tecnologia para gerar um crescimento exponencial, o que torna nossas startups mais intensivas em contratação de mão de obra.

Confira a apresentação:

Ficamos felizes de ver um VC evangelizando lá fora (Stanford, wow!) sobre as oportunidades do mercado local. Valeu, Simon! E você, o que achou? Concorda com os pontos levantados pelo VC brasileiro?