Smart Clothes: Roupas de um Futuro Não Tão Distante

Na emergente Internet das Coisas, objetos do cotidiano estão se tornando uma rede. As roupas não são exceção. Ainda é cedo para falar em roupas online, mas já temos um exemplo bastante interessante que é o tênis de corrida Nike+, que contém sensores que se conectam ao iPod do usuário. Parece algo distante, mas apostamos que em um futuro não muito distante poderemos ver camisas em moletons em rede.

Na seguinte lista de “roupas inteligentes”, mostramos calças com Internet, um sensor de proximidade em uma camisa, um sutiã com sensores, um capacete de pensamentos, e várias  outras coisas aparentemente malucas, mas promissoras.

Calças com Detector de Movimento

Nós sabemos o que você está pensando, já está bastante fácil de detectar “movimento” em calças, não é? Mesmo assim, o Instituto Virginia Polytechnic e a Universidade Estadual em Blacksburg desenvolveram um modelo de calças “que detectam o movimento e gravam cada passo seu em um computador.”

Essas calças “inteligentes” são feitas em um tear que ajuda a costurar fios e tecidos juntos. Os sensores embutidos no tecido medem a velocidade, rotação e flexibilidade das calças em cada movimento. Os sinais sem fio são enviados das calças para um computador para mostrar a atividade. Os cientistas do instituto Virginia Polytechnic ainda não sabem a utilidade desta atividade (para um computador) mas temos certeza que casos de uso interessantes irão surgir.

Camisa com Sensor de Proximidade

A Locked On, camisa com sensor de proximidade está disponível na loja ThinkGeek. Ela possui uma “tela de radar” na camisa que busca camisas similares. Se você aproximar alguns metros de sua “parceira” que veste a mesma camisa, o radar em sua camisa acusa e detecta a outra camisa. Isto pode ser útil para o amor ou na guerra, o vídeo abaixo demonstra melhor.

Sutiã com Sensor que Monitora o Coração

O NuMetrex, um sutiã ( com nome e formas esquisitas) possui sensor de monitoramento do coração, usa módulos eletrônicos para captar o batimento cardíaco da pessoa e transmitir os dados para um relógio usado no pulso.

Segundo a diretora de marketing da NuMetrex, Meg Burich,  “É um jeito confortável de usar um monitor de batimentos cardíacos, porque nós costuramos as fibras com sensores diretamente no tecido da roupa. Não há cinto de plástico rígido para envolver o seu peito”.

Tênis de Corrida Inteligente

O tênis de corrida Nike+ vem com um sensor que monitora sua corrida, e depois envia os dados para seu iPod. Ele ainda tem sua própria rede social e pode automaticamente enviar um tweet ou postar um relatório de status no Facebook.

Nossos amigos americanos já fizeram um review deste tênis.

Jaqueta em Rede

De acordo com um relatório do GizmoWatch feito dois anos atrás, a jaqueta BLU Jacket, projetada pela Lunar é um conceito futurista que poderia fazer com que outdoors ambulantes tornassem  realidade.

A Lunar Design usou tecidos orgânicos contendo semicondutores na BLU Jacket, a fim de mostrar seu humor através de sinais e cores. Essa BLU Jacket também possui um módulo GPS incorporado. Então, se alguém lhe pedir orientação geográfica, você poderia teoricamente projetar um mapa na sua maga da jaqueta através do display flexível. Ou então perguntar para o GizmoWatch, “que tal ser pago para exibir anúncios em meu casaco?”

Neuro Headset

O neuro headset EPOC da Emotiv é feito para gamers e é vendido por US$ 299. É descrito como uma “um detector de sinais neurais de alta resolução, um neuro headset wireless.” O headset usa um conjunto de sensores para “sintonizar sinais elétricos produzidos pelo cérebro para detectar pensamentos, sentimentos, e expressões do jogador e se conecta a maioria dos PCs via wireless.”

Segundo a empresa, o headset pode detectar emoções como a raiva, excitação e tensão, e também expressões faciais e ações cognitivas como empurrar e puxar objetos.

O Capacete de Pensamentos

Vamos ser futuristas por um minuto. A Six Revisions faz referências ao artigo da Time de Setembro de 2008, que afirma que o exército americano está a procura de “capacetes de pensamentos” para comunicação segura de mente-para-mente entre os soldados. O objetivo “é um sistema aonde todo o sistema militar se comunicar somente por pensamentos. Embora esta tecnologia ainda esteja muito longe de ser desenvolvida, os militares já estão concedendo um contrato de US$ 4 milhões para uma equipe de cientistas da universidade da Califórnia em Irvine, universidade Carnegie Mellon, e da universidade Maryland, o que significa que possivelmente poderemos ver protótipos desses sistemas na próxima década.

Relógio iPod

Voltaremos para o presente. Já existem uma série de relógios com controles para gadgets de diferentes fabricantes. Esses relógios permitem que você controle seu iPod usando apenas seu relógio wireless.

Cuecas com Biosensor

A RSC Publishing relatou recentemente que cientistas americanos desenvolveram biosensores duráveis que podem ser impressos diretamente na roupa, para permitir um acompanhamento contínuo biomédico fora dos hospitais. O objetivo é permitir o monitoramento constante da pressão arterial e dos batimentos cardíacos:

“Joseph Wang e seus colegas da universidade da Califórnia em São Diego desenvolveram um método para implementar biosensores diretamente nas roupas.  Para formar os sensores, Wang imprimiu uma tela de eletrodos de carbono ordenados diretamente no elástico de cuecas. O contato contínuo exposição direta a pele permite que a água oxigenada e o enzima NADH, que ambos são associados a vários processos biomédicos, sejam monitorados utilizando o sensor, explica Wang.”

Nanofibras

Para completar nossa lista, vamos a um nível abaixo da cadeia de vestuário e observar a próxima geração de tecidos. A Delta Farm Press relata que o Departamento Têxtil e de Vestuário da Universidade de Cornell visa desenvolver fibras que contém dispositivos computacionais. Um exemplo de caso de uso é a camisa “feita de fios de algodão revestida com uma fina camada de polímeros semicondutores e nanopartículas que conduzem eletricidade e podem carregar seu celular ou iPod, ou até monitorar seu coração, ondas cerebrais e outras funções.”

A universidade também está investigando “tecidos que podem agir como sensores que poderiam ser usados para detectar a presença de bactérias perigosas, como o E. coli ou o antrax.” Outro exemplo são as roupas feitas de fibras inteligentes que podem mudar de cor – “uma cor apropriada para o ambiente de negócios durante o dia, outra para socializar durante a noite.”

Uma coisa é certa, com todos esses exemplos de “smart clothing”, pelo menos algumas das roupas que usaremos provavelmente funcionarão em rede, de uma forma ou de outra. Qual peça você quer comprar primeiro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *