Startup 101 – 10 coisas a se pensar antes de abrir sua empresa


Na semana passada apresentamos nossa série Startup 101, que visa ajudar empreededores a começar a se aventurar pelo universo das Startups e entender os primeiros passos para abrir sua empresa de tecnologia. Este é segundo post da série e visa apresentar alguns questionamentos e dicas para que o empreendedor saiba melhor onde está pisando, antes de começar. Para acompanhar a série semanalmente, assine nosso Feed RSS ou acompanhe nosso perfil no Twitter.

Vamos passar brevemente pelas seguintes perguntas:

1. Este é o seu primeiro negócio?
2. Você é realmente um empreendedor?
3. Seu negócio envolve algo que você realmente domina?
4. Sua mãe entenderia sua proposição de valor?
5. Você é capaz de prever a onda certa?
6. O que sua startup quer ser quando crescer?
7. Abrir um negócio é difícil e incerto, está preparado para correr os riscos?
8. Ter sócios ou tentar uma carreira solo?
9. Você abriria mão de um emprego com um bom salário?
10. Você consegue levantar o capital necessário?

1. Este é o seu primeiro negócio?

Se você já abriu um negócio antes, vendeu a empresa, fez um monte de dinheiro para você e seus investidores e agora tem uma nova idéia, ligue para um de seus investidores e convide-o para um café. Conte da nova idéia, e decida o quanto você estaria disposto a entregar em participação na sua empresa em troca de capital de risco. Acreditamos que este não seja o caso mais comum, principalmente no mercado brasileiro, mas ocasionalmente acontece! Mas tome cuidado, não se esqueça que vários segundos empreendimentos falham!

Se você já abriu um negócio antes e fracassou, pode ser interessante avaliar honestamente porquê e se você deve fazer isso novamente. Sim, existem diversas histórias de pessoas que seguem tentando e falham várias vezes antes de acertar. As histórias que você não ouve são aquelas de pessoas que tentam, tentam e nunca acertam.

2. Você é realmente um empreendedor?

Existem vários testes para ajudar você a pensar sobre isso. Nosso próximo capítulo será exclusivamente dedicado a este tema. Mas este é um ponto importante. Existem alguns momentos em que você terá uma visão clara sobre isso:

  • Durante o último estágio de um boom, quando tudo parece simples, mas não é – Se você começa nesta fase, você pode conseguir um aporte, mas o próximo ciclo será um duro teste, pois os booms passam e você pode não conseguir a penetração necessária, ou passar por outras adversidades. Também haverá cobranças dos investidores e mesmo do seus usuários/clientes. Você está preparado para isso?
  • Em momentos difíceis, e quando você não tiver um emprego – O Brasil se caracteriza bastante pelo grande volume de empreendedores de subsistência, pessoas que abrem suas empresas por não ter um emprego formal, ou não conseguir uma vaga na empresa dos seus sonhos. Estes negócios costumam ter uma taxa de mortalidade alta e devem ser tocados de maneira ainda mais meticulosa. Algumas vezes também, você vai lidar com problemas na sua vida pessoal pela possível falta do status e conforto que um emprego propicia. É importante estar atento e empreender por escolha, ou ao menos se precaver dos possíveis problemas do empreendedorismo por necessidade.

Se você conseguir sobreviver a estes momentos, provavelmente está no caminho certo. É um período crítico, mas onde se acrescenta muita experiência e você acaba aprendendo coisas que jamais imaginou. E no final das contas, ainda é melhor ter uma participação num projeto não tão bem sucedido, que um espaço em branco no seu curriculum.

3. Seu negócio envolve algo que você realmente domina?

Você consegue responder a qualquer pergunta de qualquer um sobre seu negócio, sem consultar suas anotações? Outras pessoas pedem sua opinião sobre este assunto? As pessoas geralmente falam muito sobre paixão quando o assunto é uma startup. Sim, você deve ter paixão, mas conhecimento, entendimento e experiência são as habilidades que te ajudam a superar os dias em que sua paixão pelo negócio está em cheque. Acredite, em alguns momentos isso vai acontecer.

4. Sua mãe entenderia sua proposição de valor?

É sério! Ela certamente quer que você seja bem sucedido, mas você não quer ouvir algo do tipo, “Tenho total confiança em você meu filho!”. Será que ela realmente entenderá sua proposição de valor? Ela conseguiria explicar o seu novo negócio para as amigas? Esta tática ajuda você a evitar os pensamentos de grupos homogêneos que identificam X,Y ou Z como a última tendência. Esteja certo que você tem uma proposição de valor clara, que consiga atingir as massas e ser retransmitida. Seja direto, simples e fácil de espalhar.

5. Você é capaz de prever a onda certa?

Um novo negócio precisa surfar em uma onda, uma tendência que ganhe força e ajude seu negócio a obter alavancagem. Os desafios para crescer uma startup são enormes. Você tem que encontrar a tendência que é sua amiga, a onda que te diferencia e na qual você possa seguir e crescer com ela.

Um exemplo de tendência ou onda por exemplo é o movimento na direção de publicidade offline para online. Várias empresas de publicidade online surfaram nesta tendência e estão conseguindo inovar a publicidade digital criando negócios rentáveis.

Ainda assim você vai ter que explicar para sua mãe como você conseguirá atenção do seu público a um valor que seja barato o suficiente para gerar lucro e conseguir entrar no mercado.

Existem grandes e pequenas ondas. As ondas grandes são óbvias, existem muito poucas, e todos estão tentando surfar nelas. Encontre as pequenas ondas que vem na sequência das grandes e também trabalhe nestes nichos. Você conseguiria em 30 segundos responder qual a grande onda e qual a onda menor em que você pretende surfar?

6. O que sua startup quer ser quando crescer?

Você quer um estilo de vida ou um negócio? Uma empresa que você possa vender em 2 anos? Você pretende conseguir uma mega audiência e aparecer na capa das revistas de negócios? Ou você apenas quer uma pequena/média empresa para tocar tranquilamente, pelo resto da vida e pagar suas contas, sem grandes ambições?

Seja honesto com você mesmo, seus investidores e sócios. Tenha uma visão clara do que é sucesso para você. Você pensa em fechar um mega acordo para vender para a mega corporação XYZ ? Você seria um bom CEO lidando com um conselho de acionistas que exige de você decisões que podem definir o sucesso ou fracasso da sua empresa? Clareza de onde se quer chegar é importante pois ajuda a traçar o plano para alcançar este objetivo.

7. Abrir um negócio é difícil e incerto, está preparado para correr os riscos?

Empresas fundadas com capital de risco apresentam uma taxa de falha de 33%. Empresas que passam apenas por rodadas de capital semente ou investidores anjo apresentam taxas de falha muito superiores. Então existe uma razão para aqueles que apostam num possível aporte. Apesar de no Brasil estarmos vivenciando um crescimento no volume de investimentos de Venture Capital, apostar o sucesso de sua empresa exclusivamente em VC é um risco que pode ser alto demais para se correr. Levante todas as possibilidades, analise, e então decida quais riscos correr e como correr.

8. Ter sócios ou tentar uma carreira solo?

Não existe uma resposta do tipo certo ou errado. Depende do tipo de empreendedor que você é. Uma sociedade de verdade, significa 50/50, não é 49/51. Não existe algo do tipo “Tome 10% para fazer A, B e C acontecerem.” Se optar por sociedade, escolha um perfil complementar ao seu, e tome precauções legais. Inclua uma clásula de compra/venda das participações dos sócios. As pessoas mudam. Suas necessidades e motivações também. Você pode ser a pessoa que vai querer sair da sociedade e seguir em frente. Ou pode ser a pessoa que fica e compra a parte do seu sócio. Ambos devem ser possíveis e os termos devem ser iguais para ambas as partes.

9. Você abriria mão de um emprego com um bom salário?

Tem certeza? O quão alto teria que ser o salário para que você não consiga dizer não?

10. Você consegue levantar o capital necessário?

O índice de mortalidade de empresas auto-financiadas na web é de cerca de 90%. Você pode não precisar de muito dinheiro, mas “o suficiente” depende do tipo de startup que você quer ser (veja o item #6).

Um último ponto: Você conhece razoavelmente bem ao menos um investidor que poderia ter o capital e o interesse de investir no segmento que você escolheu? Ou você conhece alguém bem o suficiente que conheça um destes investidores? Em caso negativo, seus desafios ficaram um pouco mais difíceis.

Determinação, inteligência, planejamento e trabalho duro vão te ajudar a superar estes desafios. Mas calcular os desafios e riscos antes de começar sua nova jornada é sempre importante.

Participe da série Startup 101 no RWW Brasil. Comente, deixe suas dicas de assuntos para abordarmos e acompanhe nosso RSS.

0 responses to “Startup 101 – 10 coisas a se pensar antes de abrir sua empresa

  1. “Uma sociedade de verdade, significa 50/50, não é 49/51. Não existe algo do tipo 'Tome 10% para fazer A, B e C acontecerem.'”

    Concordo plenamente, já fiz muita “parceria/sociedade” de 10% e realmente não funciona. O grande lance é 50% em tudo: custos, trabalho e LUCRO$

  2. “Uma sociedade de verdade, significa 50/50, não é 49/51. Não existe algo do tipo 'Tome 10% para fazer A, B e C acontecerem.'”

    Concordo plenamente, já fiz muita “parceria/sociedade” de 10% e realmente não funciona. O grande lance é 50% em tudo: custos, trabalho e LUCRO$

  3. “Uma sociedade de verdade, significa 50/50, não é 49/51. Não existe algo do tipo 'Tome 10% para fazer A, B e C acontecerem.'”

    Concordo plenamente, já fiz muita “parceria/sociedade” de 10% e realmente não funciona. O grande lance é 50% em tudo: custos, trabalho e LUCRO$

  4. Muitas coisas além destas são relevantes na hora de abrir um negócio, como eu aconselho procurar o SEBRAE, eles ensinam muito bem os caminhos de abertura de uma empresa, sugestão prática. O caminho correto cada qual segue um, não é ditando as regras que todos têm sucesso, mas perseverança e disciplina são fatores iniciais, estude, leia bastante e certamente vai entender melhor e ser mais otimista, e ver o mundo como um amigo não um vilão.

    Excelente ideias todos temos, basta saber achá-las e colocar em prática, uma pequena ideia bem trabalhada rende muitos frutos, então pratique sua mente e siga em frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *