Twitter Expande sua Atuação. Justifica 1 Bilhão de Dólares?

twitter_redesign_jul09a

O último valuation do Twitter deu o que falar. No dia 24 de setembro de 2009, o Wall Street Journal anunciou que Evan Williams e seus sócios estavam prestes a fechar um terceiro round de investimento no valor de 100 milhões de dólares (aproximadamente 180 milhões de reais no câmbio da data), com investidores de peso do mercado de venture capital: T. Rowe Price, Insight Venture Partners, Spark Capital e Institutional Venture Partners.

picture-6

A mais recente notícia confirma o valuation de mais de 1 bilhão de dólares para o que é o quinto round de investimento no Twitter, envolvendo também o Morgan Stanley e Benchmark Capital.

Quer saber mais sobre as cinco séries de investimento levantadas pelo Twitter? Veja essa tabela do PE Data Center…

history_twitter


Muitos críticos apareceram questionando um valor tão alto, uma vez que o modelo de negócios da empresa ainda não está claro. Segundo eles, isso remete aos anos de 1999: muito dinheiro em caixa, fundos de investimento financiando empresas de internet sem geração de receita – mais preocupados em alavancar as marcas de suas investidas do que ter lucratividade. Se somam a isso as comparações com o Linkedin – última empresa a ser avaliada nesse patamar – e o fato da proximidade da crise financeira recente não justificar um valuation tão grande.

A novidade é que o Twitter pode tentar acalmar os críticos com sua nova estratégia global: the translation project. A rede social parece seguir o caminho do Facebook, que traduziu seu site para mais de 70 línguas e vem obtendo sucesso em países antes dominados por outras redes sociais (como nós brasileiros, com o Orkut). São Paulo já aparece entre as cidades que mais twitam no mundo, e a pulverização dos tweets em países como China e Índia poderão gerar mais valor para a empresa.

Ainda assim, justifica 1 bilhão de dólares?

0 responses to “Twitter Expande sua Atuação. Justifica 1 Bilhão de Dólares?

  1. Achei o post muito bom, pois tocou em ponto que nem sempre aparece: valuation super estimados, sem geração de receita, dotados de muita especulação.

    Concordo com o post, remete a 1999.

  2. Achei o post muito bom, pois tocou em ponto que nem sempre aparece: valuation super estimados, sem geração de receita, dotados de muita especulação.

    Concordo com o post, remete a 1999.

  3. Depois que o youtube foi vendido por U$1.6bi, não faço a menor idéia do que se consegue comprar com U$100 ou 200 mi.

  4. Depois que o youtube foi vendido por U$1.6bi, não faço a menor idéia do que se consegue comprar com U$100 ou 200 mi.

  5. O preço por share segue uma progressão parecida nos aportes a partir do series B (montante anterior x 3, x 2, x 3). Provavelmente o valuation só acompanhou essa tendência, fundamentado na premissa de que os anteriores foram corretos.

    Agora vejam que interessante: comparem as datas dos aportes com a audiência do Twitter (veja no Alexa ou no Google Trends – http://trends.google.com/websites?q=twitter.com). Mera coincidência, ou a audiência do site segue uma proporção parecida com a seguida pelos aportes ao redor das mesmas datas?

    Minha teoria: até agora, a audiência do Twitter era seu critério de valuation. A partir de agora, só faz sentindo um valuation maior de acordo com sua capacidade de gerar receita (dada a diminuição recente na taxa de crescimento da audiência).

    Lembram que o acordo de publicidade com a Microsoft fez o Digg faturar melhor a partir de 2008? Isso pode acontecer em breve pro Twitter, se o que a Kara Swisher blogou se concretizar:
    http://kara.allthingsd.com/20091008/twitter-talking-separately-to-microsoft-and-also-google-about-big-data-mining-deals/

    Eu tenho algumas teorias a respeito, mas isso pode ficar pra algum post no futuro 😉

    Abraço,

    — Yuri

  6. O preço por share segue uma progressão parecida nos aportes a partir do series B (montante anterior x 3, x 2, x 3). Provavelmente o valuation só acompanhou essa tendência, fundamentado na premissa de que os anteriores foram corretos.

    Agora vejam que interessante: comparem as datas dos aportes com a audiência do Twitter (veja no Alexa ou no Google Trends – http://trends.google.com/websites?q=twitter.com). Mera coincidência, ou a audiência do site segue uma proporção parecida com a seguida pelos aportes ao redor das mesmas datas?

    Minha teoria: até agora, a audiência do Twitter era seu critério de valuation. A partir de agora, só faz sentindo um valuation maior de acordo com sua capacidade de gerar receita (dada a diminuição recente na taxa de crescimento da audiência).

    Lembram que o acordo de publicidade com a Microsoft fez o Digg faturar melhor a partir de 2008? Isso pode acontecer em breve pro Twitter, se o que a Kara Swisher blogou se concretizar:
    http://kara.allthingsd.com/20091008/twitter-talking-separately-to-microsoft-and-also-google-about-big-data-mining-deals/

    Eu tenho algumas teorias a respeito, mas isso pode ficar pra algum post no futuro 😉

    Abraço,

    — Yuri

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *