A startup portenha Restorando, que oferece um sistema de reservas para restaurantes, continua crescendo assustadoramente. Hoje a startup atua no Brasil e na Argentina, mas está com planos de expansão para outros países da América Latina, como Chile e Colômbia. Para isso, a startup já possui capital, graças a uma recente rodada de investimento com a participação de grandes investidores, inclusive do Vale do Silício. O mercado está tão intenso que até o Peixe Urbano quer uma fatia, e mostrou isso ao comprar o site de reservas online Zuppa.

A startup iniciou suas operações em 2010, mas no começo tratava-se de um aplicativo web para restaurantes. Logo começaram os testes em 10 restaurantes de Buenos Aires e 10 de São Paulo. Depois disso a empresa só cresceu. Em Julho de 2011 entrevistamos o co-fundador da Restorando, Frank Martin, quando a empresa começava a decolar nos dois países. Hoje voltamos a entrevistá-lo, agora num momento diferente, depois de levantar US$ 3,2 milhões com a recente rodada de investimento.

WebHolic: Nós do WebHolic ficamos muito felizes com as novas. Como foram as negociações? Como você se sente tendo um fundo do Vale do Silício investindo na sua empresa?

Frank Martin: É ótimo ter uma equipe com fundos locais e do Silicon Valley. Investidores com conhecimento é o que buscamos e esses fundos são experts nas indústrias em que operam.

WH: Com o novo financiamento, vocês anunciaram suas intenções de consolidação no Brasil e Argentina, e também de expansão para o Chile e Colômbia. E como estão os planos? Você tem previsões de quando começarão as operações nesses países? Quais são os planos para o Brasil?

FM: Grande parte do investimento irá para o Brasil. O Chile e a Colômbia são atraentes, mas também são mercados menores. Pretendemos entrar nesses mercados até o final deste ano.

No Brasil, nossos planos são de continuar melhorando nossos produtos e também o network com restaurantes em diferentes cidades.

WH: Sabemos que o Restorando já possui mais de 500.000 usuários e trabalha com mais de 800 restaurantes. Quais são as expectativas para este ano?

FM: A ideia é triplicar essas métricas.

WH: Qual a sua opinião sobre o mercado brasileiro? Você esperava este crescimento tão repentino?

FM: O mercado brasileiro é fantástico e com crescimento constante. A oportunidade de melhorar os serviços e produtos é enorme, e os consumidores brasileiros são muito receptivos e possuem rápida adaptação à mudanças.

WH: Obrigado e sucesso!