Nota do editor: Este post faz parte de uma parceria do WebHolic com o site Exame. O conteúdo exibido aqui não é de nossa autoria.

Em um de seus acessos de autoridade e liderança, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, negociou sozinho, sem consultar o conselho da empresa, a compra do Instagram. A aquisição foi anunciada no último dia 9, por 1 bilhão de dólares.

Segundo informações do The Wall Street Journal, Zuckerberg apenas reuniu o conselho no domingo (8), quando a negociação entre ele e o CEO do Instagram, Kevin Systrom, já estava concluída. Essa foi a maior aquisição já realizada pelo Facebook.

A conversa entre eles teria começado na sexta-feira (6), por iniciativa de Zuckerberg. Inicialmente, Systrom teria pedido 2 bilhões de dólares pelo Instagram. Segundo analistas, o valor de mercado do app era de 500 milhões de dólares.

De forma geral, aquisições de grande porte costumam ser analisadas e discutidas pelos conselhos das empresas antes de serem concluídas.

Além do Facebook, o Twitter também tinha interesse em comprar o Instagram. Em todos os contatos feitos pelo cofundador Jack Dorsey, Systrom afirmou que a empresa não estava à venda.

Segundo Zuckerberg, mais do que tentar integrar o Instagram ao Facebook, o objetivo é mantê-lo crescendo neste momento.