CrowdFunding. Já Ouviu Falar? Será que Pega Por Aqui?

Yep. Depois da Febre do Kickstarter lá fora, do caso bem sucedido de Crowdfunding do projeto Diaspora (o Anti-Facebook), o movimento pró CrowdFunding chega ao Brasil. Já temos uma lista de discussão, um blog e muita gente falando sobre o assunto no Twitter. Agora encontramos o Catarse, uma plataforma de Crowdfunding genuinamente brasileira, sendo construída para ajudar a fomentar os nossos projetos.

Nós acompanhamos o mercado local de startups e funding a algum tempo, e ficamos muito felizes de termos gente tirando a bunda da cadeira se esforçando e mandando ver em iniciativas como essa. Desejamos toda a sorte do mundo, e podem contar com o nosso apoio para o que for preciso. Afinal, se formos depender dos investidores early stage, angels (quem são eles? existem?) ou mesmo das incubadoras, vamos continuar evoluindo a passos lentos. Confira o video abaixo na íntegra!

PS: Continuando a discussão iniciada nesta semana sobre Startups e Meios de Pagamento no Brasil, o pessoal do #crowdfundingbr fez um post contando sobre a experiência com os meios de pagamentos brasileiros MoIP e Paypal para desenvolvimento da plataforma. Vale a pena conferir!

0 responses to “CrowdFunding. Já Ouviu Falar? Será que Pega Por Aqui?

  1. Muito legal o Catarse! Tive o prazer de conhecer a galera do CrowdfundingBR e os caras estão mandando bem tanto na condução do tema no Brasil quanto na execução do sistema. E com certeza 2011 será um bom ano para o crowdfunding.

    Aproveito também para compartilhar com vocês que estou desenvolvendo uma plataforma web de crowdfunding. Trata-se da Senso Incomum, uma rede social que permite a captação e distribuição de recursos para projetos sociais.

    E agora em janeiro/11 lançaremos a primeira versão beta da rede.

    Para quem tiver interesse, nosso blog tem mais detalhes sobre o modelo de negócio em crowdfunding. E também me coloco à disposição para quem quiser bater um papo sobre o assunto.

    Valeu!
    Edu Sangion
    Co-fundador Senso Incomum

Deixe uma resposta para Geison Barillo Soares Pereira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *