A Apple Não Matou o Drive Óptico. O Blue Ray Ainda Vive…

Tenho que admitir, recentemente me impressionei com uma headline no Techmeme do blog Techcrunch: “Sim, a Apple matou o CD.” É claro que uma chamada como essa é para chamar sua atenção – e foi o que aconteceu, pelos números de tweets, Diggs e comentários. No fundo, eu concordo com a tendência geral (que se aplica aos computadores) – o drive óptico está virando coisa do passado, perdendo para outras opções de armazenamento mais portáteis como o USB e até mesmo para o compartilhamento de arquivos através de ferramentas baseadas na web.

No entanto, as mídias ópticas ainda não estão mortas – longe disso, graças ao Blu-ray. Então a manchete deveria ser “drives ópticos em computadores já não são tão importantes, mas o Blu-ray está indo bem.” Mas isso não seria tão cativante.

Drive de Mídia Óptica vs Mídia Óptica

Para aqueles que vão além da manchete, o artigo o Techcrunch tem um ponto válido – não é mais tão necessário incluir um drive óptico em um computador, principalmente um projetado para máxima portabilidade, pois o drive USB muitas vezes será suficiente para a transferência de arquivos entre computadores.

Mas dizer que isso torna o “CD, DVD e todos os outros discos ópticos obsoletos” é um exagero. (Bem, pelo menos para o DVD.)

Por algum tempo os CDs de música tem estado em baixa, até meados de 2010 eles estavam 50% do seu pico. Mas com os DVDs a história é outra. Por causa do Blu-ray, o formato de visualização de vídeo HD, o DVD ainda é uma escolha popular para os consumidores em certos mercados.

Vendas de DVD vs Blu-Ray

Os estúdios de cinema estão preocupados que menos pessoas estão optando por comprar filmes em DVD, mas alguns executivos da mídia estão com opiniões divididas sobre as tendências atuais nesta área. Recentemente, o chefe executivo da Time Warner Inc. Jeff Bewkes disse que as tendências estão melhorando se tratando das vendas de DVDs, mas o chefe executivo da Disney Robert Iger disse que o mercado continuará difícil.

Obviamente, a distribuição digital terá impacto na indústria e nas mídias ópticas. As opções em streaming como as do Netflix, o império dos novos dispositivos de media center e as TVs conectadas vão fazer o mesmo. Mas matar a mídia? Não inteiramente, pelo menos ainda não.

Vendas de Blu-Ray: Estatísticas

  • Algumas fontes relataram que as vendas de Blu-ray e de DVDs diminuíram globalmente em 2009, sendo que apenas 33% do mercado internacional tiveram aumentou ou mantiveram a receita positiva. Mas esperam que em 2010 as vendas aumentem em até 70%.
  • E quando você olha para as estatísticas do Blu-ray, os números não são tão ruins. Em 2009 os discos graváveis de Blu-ray chegaram a 44 milhões, um aumento de 244% sobre o ano de 2008. Espera-se que a demanda global amplie em 7 vezes a partir de 2009, subindo para 310 milhões de discos em 2012, segundo os dados divulgados pela Japan Recording-Media Industries Association (JRIA).
  • Segundo uma fonte, no primeiro trimestre de 2010 as vendas européias dobraram, chegando a 150 milhões de euros. Mas o consenso atual é que o mercado europeu em geral não está indo muito bem (com exceção da Alemanha). Na verdade, a Screen Digest acredita que as vendas de DVD e Blu-ray na Europa vão cair 3,5% a cada ano até 2015.
  • Mas no EUA a adoção de Blu-ray é de 17% – e cerca de 20 milhões de residências dos EUA possuem tanto um player de Blue-ray como um de DVD. O filme Avatar ajudou com isso. As residências com o Blu-ray alugam e compram mais discos do que as residências com DVD, e o formato parece ser o preferido das famílias jovens e com crianças.
  • De acordo com a fabricante de hardware Singulus Technologies, no primeiro semestre de 2010 as vendas de Blu-ray chegaram a 5 milhões, um aumento de 153% comparado com o primeiro semestre de 2009. Além disso, houve um aumento de 2% nas vendas de DVDs, chegando aos 45,7 milhões (no primeiro semestre de 2009 foram 44,9 milhões), a empresa disse que esse novo recorde se deve principalmente ao mercado cada vez maior do Blu-ray.
  • No EUA, pesquisadores de mercado da Swicker & Associates descobriram que as vendas de discos Blu-ray aumentaram 112% no segundo trimestre comparado com o mesmo período do ano passado.
  • A empresa de pesquisa Futuresource calcula que em 2014 40% dos lares do EUA, da Europa Ocidental e do Japão terão um player, um gravador ou um home theater Blu-ray 3D. Além disso eles prevêem que o formato terá um crescimento constante em 5 anos graças ao 3D.

Em outras palavras, os formatos Blu-ray e DVD – sim, formatos ópticos – não estão mortos ainda. E se a popularidade do Blu-ray aumentar, uma parte do público com interesse em PCs vai querer um drive óptico de Blu-ray em seus computadores.

E vocês, acham que esses formatos estão obsoletos?

0 responses to “A Apple Não Matou o Drive Óptico. O Blue Ray Ainda Vive…

Deixe uma resposta para Allan Mobley Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *